Nas Bancas

Andreia Rodrigues reconhece: “A vida tem sido generosa comigo”

A apresentadora da SIC é a embaixadora do movimento ‘Por um Portugal Mais Fashion’, onde se integra a Fashion Week do CascaiShopping. Esta iniciativa foi o mote para uma conversa com Andreia Rodrigues sobre os momentos felizes que tem vivido tanto no campo pessoal como profissional.

Marta Mesquita
8 de dezembro de 2013, 12:00

Andreia Rodrigues, de 29 anos, é das apresentadoras mais mediáticas da sua geração. A somar programas da SIC Gosto Disto e Fama Show, prepara-se para assumir mais um desafio: integrar a equipa do canal SIC CARAS, que vai para o ar a 6 de dezembro. Por tudo isto, Andreia admite: “Não posso estar mais feliz com a minha vida profissional.” Porém, não é apenas com a sua carreira que a apresentadora se sente realizada. Ao lado de Daniel Oliveira, vive um namoro feliz há três anos.
Tendo como mote o seu papel como embaixadora do movimento Por um Portugal Mais Fashion, a apresentadora conver­sou com a CARAS.
– Faz questão de vestir o que está na moda ou, pelo contrário, não liga muito às tendências?
Andreia Rodrigues
– Estou atenta às tendências, mas gosto de criar a minha própria moda. Vejo o que há nas lojas e adapto ao meu gosto. Se não gosto de algo, não uso só porque é moda. Mas o que me fez estar associada a este movimento foi o facto de ser uma iniciativa que mostra o que a moda pode fazer pelas pessoas. Por exemplo, se optarmos por um look adaptado às formas do nosso corpo, vamos olhar ao espelho e gostar do que lá está refletido, o que é muito importante para a nossa autoestima. E para mim a moda é importante também por isso.
– E consegue definir qual é o seu estilo?
– Tenho vários estilos. O meu estilo tem que ver com a forma como acordo. Não tenho um estilo, mas gosto da combinação casual chic para o dia-a-dia. E acho que muitas vezes o segredo de um bom look está nos acessórios.
– E é consumista? Gas­ta muito dinheiro em roupa?
– A profissão que tenho exige que gaste algum dinheiro em roupa, mas sempre com contenção. Antes de gastar, penso se preciso mesmo de determinada peça ou se já tenho algo parecido no armário. E aquela ideia de que não podemos repetir o visual nos eventos sociais a que vamos não faz sentido nenhum. Somos pessoas normais e temos de vestir mais do que uma vez a mesma roupa. Caso contrário, não haveria ordenado que aguentasse.
– Falando agora da sua carreira: estes últimos dois anos têm sido fantásticos para si...
– Sim, é verdade. Mas tenho subido degrau a degrau. Fico muito feliz, porque acho que o meu esforço e trabalho têm sido reconhecidos. O balanço que faço destes últimos anos é francamente positivo, apesar de ainda ter um longo caminho para percorrer e muita coisa para melhorar. Tudo tem acontecido a seu tempo e tenho feito um caminho consistente. A vida tem sido generosa comigo, mas também fiz por isso. Nada me caiu do ar.
– Diz que ainda tem muita coisa para melhorar. Como é que lida com os seus erros?
– Detesto falhar e sou a pessoa mais crítica do meu trabalho. Às vezes gostava de ser mais descontraída e aceitar que falhar é humano. Mas ainda não consigo ter esse distanciamento. Sempre que falho, sou cruel comigo mesma. Se calhar o tempo e a maturidade vão ajudar-me a lidar com isso de uma maneira diferente...
– Se têm sido anos muito bons para si no campo profissio­nal, o mesmo se pode dizer em relação à sua vida pessoal...
– Têm sido três anos fantásticos. Sou muito feliz ao lado do Daniel. É o amigo, o companheiro e o homem que amo. Só espero que a vida me continue a permitir tê-lo ao meu lado. Farei tudo para que isso aconteça. A relação constrói-se e não podemos dar nada por adquirido. Como trabalhamos na mesma área, compreendemos muito bem a vida profissional um do outro. Entre nós não há cobranças.
– Sente que a sua realização profissional a tem obrigado a adiar o desejo de ter a sua pró­pria família?
– Não tenho vindo a adiar nada. Ter filhos é uma vontade dos dois, mas ainda não chegou esse momento. Há alturas em que temos de estar dedicados ao trabalho e, neste momento, estamos focados nisso. Nós bastamo-nos um ao outro, estamos bem. E nesta fase não precisamos de acrescentar nada à nossa vida.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras