Nas Bancas

Aos 40 anos, Fernanda serrano assegura: “A idade não me assusta”

Na véspera do seu 40.º aniversário, Fernanda Serrano foi o centro das atenções numa festa organizada pela revista ‘GQ’ para promover a produção sensual que a atriz protagonizou e comemorar os seus 40 anos. Nesta noite de celebração, a atriz contou com o apoio do marido, Pedro Miguel Ramos, e de muitos amigos, que elogiaram a sua beleza e sensualidade.

Marta Mesquita
2 de dezembro de 2013, 10:40

Para assinalar o seu 40.º aniversário, Fernanda Serrano aceitou fazer uma produção sensual para a revista GQ. Depois de ter vencido uma batalha contra o cancro, a atriz quis provar às mulheres que passaram pelo mesmo que é possível recuperarem a autoestima e voltarem a gostar do que veem ao espelho.
Na véspera do aniversário, que comemorou a 15 de novembro,  a atriz foi o centro das atenções numa festa organizada pela GQ no Sheraton Lisboa Hotel & Spa. Entre os abraços e as mensagens afetuosas dos amigos que estiveram presentes nesta noite, a atriz conversou com a CARAS e revelou a mulher feliz e realizada que é hoje aos 40 anos.
– É bom celebrar 40 anos?
Fernanda Serrano
– Espero bem que seja! Quero continuar a valorizar a vida e os dias bem passados na companhia daqueles que mais amo, que são os meus filhos [Santiago, de oito anos, Laura, de cinco, e Maria Luísa, de quatro]. Também tenho uma profissão que adoro, por isso, não posso pedir mais nada e só posso agradecer. Só desejo que venham mais 40 anos e que possa desfru­tá-los com qualidade de vida ao lado dos que amo.
– E com a produção que fez para a GQ era impossível entrar nos 40 de forma mais sensual...
– Foram vários os motivos que me levaram a fazer esta produ­ção. As mães, ao verem esta produção, podem pensar: “Afinal ainda conseguimos ser mulheres bonitas, desejadas e sensuais aos 40 anos.” Apesar de termos filhos, não temos de nos dedicar em exclusivo à nossa vertente maternal. Depois, e muito por isso, quis mostrar às pessoas que, tal como eu, passaram por fases delicadas, que a vida pode não acabar ali. As diferenças físicas que podem advir de um processo clínico como o que passei podem ser contornadas, por vezes até melhoradas. Eu também me senti muito desmotivada e perdi muito da minha autoestima, por isso, é bom voltar a ver-me bonita. Naquela fase mais delicada, olhava para antigas fotografias minhas e achava que nunca mais iria voltar a ser uma mulher bonita... Mas consegui.
– A idade e as batalhas conquistadas ajudam-na a perder os medos?
– Os medos vão estar sempre presentes. Não passa um dia em que não pense nisso... Mas logo a seguir penso que estou cá mais um dia e que amanhã estarei novamente. Eu quero é estar, fazer coisas e celebrar muitos mais anos. A idade não me assusta, quero é viver!
– E aos 40 anos, o que a faz sentir-se bonita?
– A minha vida. Quando somos muito amados, conseguimos espelhar segurança e confiança. A minha vida não é cor-de-rosa, mas tento fazer os meus dias o mais cor-de-rosa possível.
– Acredito que ter um companheiro para todas as horas também faça bem ao ego...
– É importante termos ao nos­so lado uma pessoa que nos elogia e que desfruta da vida da mesma maneira que nós. Não há casamentos mágicos, há dias difíceis, outros fáceis, mas cabe-nos a nós levar este projeto de ser família para a frente.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras