Nas Bancas

Lúcia Garcia e Isaac Alfaiate: “Assumimos um compromisso para a vida”

A manequim e o ator viveram, no dia 14 de setembro, um casamento de sonho. Por razões profissionais, tiveram de adiar para este mês a lua-de-mel, que será passada em Nova Iorque ou no Brasil.

Inês Neves
24 de novembro de 2013, 12:00

Lúcia Garcia e Isaac Alfaia­te ainda estãoem clima de lua-de-mel. A manequim e o ator casaram-se no passado dia 14 desetembro, ao fim de quatro anos de relação. “Foi um passo que quisemos muitodar. É um compromisso para a vida”, explicaram. Ainda que queiram muito terum filho em comum – Lúcia tem uma menina, Matilde, de cinco anos, frutodo seu anterior casamento, com Mário Franco –, a prioridade do casal,para já, é o trabalho. Isaac está a planear, inclusivamente, apostar na suacarreira a nível internacional.
– O que mudou na vossa relação com o casamento? Sentem o peso do papelassinado?
Isaac – Para mim, o casamento não mudou nada. Já vivíamos juntos há trêsanos e meio, estamos perfeitamente habituados à companhia um do outro... Foi umpasso que quisemos muito dar, que era importante para nós. O peso, só mesmo opeso da aliança, mas já me habituei.
– Não usavam aliança antes de se casarem?
– Não, e nunca usei anéis, nem gostava de os sentir nos dedos. Por isso, logonos primeiros dias a seguir ao casamento, fazia-me impressão, eradesconfortável. Mas no outro dia, quando fui jogar à bola, tirei a aliança paranão me magoar e senti logo falta de qualquer coisa. Até tinha pensado pô-la numfio e usá-la ao pescoço, e agora não sinto necessidade disso. Mas no fundo istoé apenas um objeto e, para mim, o amor nada tem a ver com objetos.
– Por que é que decidiriam casar-se?
Lúcia – Porque vivermos juntos não é a mesma coisa. Casar é semprediferente, é um compromisso para a vida. E tudo o que engloba o casamento émuito bom e o nosso foi muito bonito. Mas acho que a única coisa que mudoumesmo foi o meu nome, pois fiquei com o apelido do Isaac.
– E já se habituou?
– Já me habituei e já assinei co­mo Lúcia Garcia Alfaiate. Foi uma sensaçãoestranha, mas muito boa.
– Foi o casamento com que sonharam?
Isaac – Foi completamente o casamento dos nossos sonhos. Estava muitonervoso. Foram meses a organizar uma festa para 200 pessoas... Tivemos um bom feedbackpor parte dos convida­dos, toda a gente adorou.
Lúcia – Eu tive o vestido dos meus sonhos, o segundo que usei, o que a MicaelaOliveira fez para mim, amei.

– Deixaram alua-de-mel para mais tarde...
Isaac – Sim, porque tínhamos trabalhos marcados e não quisemosdesmarcá-los. Pensamos ir este mês para Nova Iorque ou Brasil.
– Próximo passo na vossa relação: filhos?
Lúcia – Não, o próximo passo é trabalho.
Isaac – Quero ir lá para fora, quero experimentar outras coisas, outrosmercados, explorar e crescer.
– E quer ir para onde?
– Há muitos mercados que quero explorar, como Espanha, Brasil e Los Angeles.Não tenho datas ainda, mas é uma coisa que quero fazer o mais brevementepossível. Vou à aventura, vou tentar, é assim que as coisas se conseguem. Osplanos dos filhos ficam em stand by, adiados, mas é algo que queremosmuito. Esta é a altura certa de tanto eu como a Lúcia explorarmos tudo o que étrabalho.
Lúcia – O meu agente, o Hélio Bernardino, acha que devo pôr agoraum pouco a moda de parte e apostar na televisão. Eu também já tenho saudades defazer televisão. Gostava de tentar a representação.
– Mas agora que se casou é que quer ir para o estrangeiro?
Isaac – As pessoas não devem deixar de seguir os seus sonhos nem defazer a vida delas, e acho que isso é a chave para que as coisas resultem e ocasamento seja saudável. Portanto, acho que esta viagem não vai alterar nada, éum sonho que tenho desde que comecei a trabalhar e não vou abandoná-lo. Claroque não vou lá ficar a morar...
– E a Lúcia não se importa com isso?
Lúcia – Para nos sentirmos bem, temos de estar ambos a trabalhar, afazer o que gostamos e nos faz felizes, seja aqui ou lá fora. E às vezes podecoincidir ou não... E eu tenho cá a minha filha, não vou abdicar dela. Quandopasso uma semana longe dela fico logo cheia de saudades. Há alturas na vida emque temos de optar e abdicar de algumas coisas.
– A Matilde vive convosco. Deve ter ficado radiante com o casamento...
– Sim. A Matilde estava radiante com o casamento, viveu também muitointensamente esse momento. Ela adora o Isaac.
– Como é a vossa relação Isaac?
Isaac – Excelente. Sou amigo dela, mas também imponho algumas regras,claro. A Lúcia é uma mãe muito babada e às vezes até sou eu, por exemplo, quetenho de dizer que não à Matilde. Temos todos uma rela­ção harmoniosa.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras