Nas Bancas

Sara Matos: “Estou a crescer de forma equilibrada e genuína”

Aos 23 anos, a atriz sabe o que quer da vida, mas admite que a sua participação e vitória no programa ‘Dança Com as Estrelas’ a ajudaram a ganhar mais confiança e autoestima.

Inês Mestre
16 de novembro de 2013, 10:00

Desde pequena que Sara Matos sonha ser atriz. Aos dez anos começou a estudar expressão dramática na Casa do Artista e nunca parou de lutar para conseguir realizar esse sonho. A primeira grande oportunidade surgiu com um casting para os Morangos com Açúcar, há quatro anos. Uma oportunidade que soube agarrar e pela qual se sente grata. Ao mesmo tempo que concretizou o sonho de ser atriz, Sara começou a viver um amor que hoje se mantém, com o também ator Lourenço Ortigão, de 24 anos, com quem afirma ser feliz.
A nível profissional, Sara tem tido um percurso em ascensão. Neste momento pode ser vista em Doida por Ti e está a gravar Belmonte, duas novelas da TVI, mas foi no programa Dança Com as Estrelas que ganhou maior projeção: os portugueses elegeram-na vencedora do programa, para sua surpresa.
Foi sobre todos estes temas que estivemos à conversa com a atriz.
– Nesta sessão fotográfica mostrou um lado sensual...         
Sara Matos –
Pois, é uma estreia para mim, porque nunca me senti à vontade a mostrar esse lado mais sensual. Mas estou cada vez mais confiante e sinto-me mais à vontade para experimentar outros trabalhos, outras expressões.
– Sente-se uma mulher sexy?
Não me sinto sexy, sinto-me uma mulher cuidada, bonita. Sinto-me bem comigo mesma e sempre ouvi dizer que quando nos sentimos bem, os outros sentem-se bem connosco. Sinto que estou a crescer de uma maneira equilibrada e muito genuína.
Participar no Dança Com as Estrelas foi uma boa experiência?
– Foi ótimo! Ajudou-me na minha formação, tenho um troféu do tamanho do mundo em casa [risos] e evoluí enquanto pessoa. Sempre fui muito reservada, com receios, e agora estou muito melhor. As pessoas acreditaram em mim, eu senti-me acarinhada e isso deu-me mais confiança e autoestima. Não podia estar mais feliz, mas se não fosse o público, não teria chegado onde cheguei. 
Nunca se deslumbrou com este meio, tendo começado tão jovem?
– Nunca pensei muito nisso, e acho que o truque é esse. E seria difícil deslumbrar-me, com a educação que os meus pais me deram. Eles próprios, apesar de eu considerar que tenho feito um percurso razoável até aqui, encaram o meu trabalho sem sobrevalorizações e sempre me ajudaram a ter os pés bem assentes na terra. E nem penso em fama, acho que é mais uma questão de reconhecimento.
– Sempre quis ser atriz?
– Sim e estou muito grata por ter chegado aqui, apesar de saber que ainda há um longo caminho a percorrer. Acredito que temos de ser especiais no que fazemos e eu estou de consciência tranquila. Se um dia não houver trabalho, e é muito provável que isso aconteça, saberei que não podia ter feito mais. Poder fazer o que gosto é o melhor.
– Além de representar, também gosta de dançar e cantar...
Sim, a música tem um papel muito importante na minha vida! Adoro representar, adoro cantar e agora descobri que adoro dançar. Um dia gostava de ser uma artista! [risos] A música diz-me muito, relaxa-me, ajuda-me a pensar, a crescer. E eu fico sensibilizada com as pequenas coisas, com um filme, com as pessoas a passar na rua... Sou muito observadora e há muita coisa que mexe comigo. A música é uma delas.
– E tem projetos para cantar?
– Gostava muito, mas tenho um pequeno problema, que é o facto de ser perfeccionista. Gosto de apostar naquilo em que sei que posso dar cem por cento, e é o caso da representação, onde posso ter papéis em que canto e danço, por isso é ótimo!
– É uma pessoa ponderada?
– Sou ponderada, mas às vezes gosto de ser impulsiva, arriscar, surpreender-me. Acho importante para não nos cansarmos e pu­xarmos por nós próprios. Quando arriscamos nem sempre sabemos se é a melhor opção, mas é ótimo termos essa hipótese.
– Namora há quatro anos com o Lourenço Ortigão. Como tem sido este tempo juntos?
– Não gosto muito de falar da minha vida pessoal, mas é normal que haja alguma curiosidade, até porque as pessoas gostam muito de nos ver juntos. Eu não sou uma pessoa que promete e faz juras, mas posso dizer que tem corrido bem e que temos uma relação muito saudável e equilibrada.
– Falam em casar e ter filhos?
– Não, estamos os dois muito focados no nosso trabalho e em crescer profissionalmente. Quanto a filhos, claro que penso nisso, mas não para já.
– O que é mais importante numa relação a dois?
– A amizade, sem dúvida, porque essa relação nunca vai acabar, mesmo que as pessoas se separem.
– Estiveram os dois no Brasil a fazer formação. Como foi essa experiência?
– Foi muito boa. Fomos bem recebidos, fiz uma ótima formação, e sem dúvida que ajuda estar numa cultura diferente e receber experiências de pessoas com técnicas diferentes. Quero muito viajar e continuar a investir na minha formação. Isso é o meu principal objetivo. Quando acabo um projeto faço uma viagem de um mês, mês e meio, sem nada marcado e mochila às costas, para ter uma mente cada vez mais aberta.
– Tem um grande sonho que gostasse de realizar?
– Um dia gostaria de ser uma excelente atriz. E não tenho vergonha de pensar nisso, porque é um objetivo para o qual vou trabalhar. É uma certeza que tenho.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras