Nas Bancas

Bibá Pitta garante: “Temos os mesmos problemas que outra família qualquer”

A relações-públicas e autora do livro ‘Não faz Diferença Nenhuma’ está de férias com o marido, Fernando Gouveia, e os filhos Maria, Madalena, Salvador e Dinis. Em breve, Tomás juntar-se-á aos restantes membros da família.

Andreia Cardinali
8 de setembro de 2013, 14:00

Todos os anos Bibá Pitta ruma ao Ancão, no Algarve, para as tradicionais férias em família com o marido, Fernando Gouveia, e os filhos, Maria, Tomás, Madalena, Salvador e Dinis. Este ano, porém, Tomás só se juntará à família nos últimos dias.
– Estas são as tradicionais férias em família...
Bibá Pitta – Sim, e serão por muitos anos. Bem, quer dizer, qualquer dia sou só eu e o Fernando outra vez! Isto é um ciclo... Eles vão crescendo... O Tomás só se junta a nós daqui a uns dias e cada um vai tendo os seus programas e a sua vida independente. Acho que vir para o Algarve só tem sentido enquanto viermos todos, em família. Quando eles deixarem de vir connosco, penso que passaremos a viajar os dois e só regressaremos aqui na fase dos netos [risos].
– Já pensa nisso?
Não, mas quando acontecer...
– E eles continuam a gostar destas férias em família?
Eu acredito que sim, mas também acho que durante o mês e meio que os mais velhos têm de férias também têm o direito de fazer outros programas, já que são os que mais trabalham e estudam.
– A verdade é que vocês são uma família muito unida, mas com muitas regras...
As regras são muito importantes, os meus filhos mais velhos estudam e trabalham e ganharam dinheiro para o verão. Não lhes dou dinheiro para saírem à noite... Claro que ajudo no imprescindível, agora tudo o que é lazer fica ao encargo deles. Acho que eles também gostam de sentir essa independência. Este é o primeiro ano em que sinto realmente que eles cresceram. Senti verdadeiramente que já são adultos.
– E como lida com isso, há uma certa nostalgia?
Não, porque tenho muitos filhos, mas acredito que muitas mães só com dois filhos e com diferenças de idade pequenas, como a Maria e o Tomás, o sintam, já que há de facto uma separação, pois embora continuem em casa seguem caminhos diferentes. Estão crescidos e têm a sua vida.
– Isso faz com que a Bibá e o Fernando fiquem ainda mais unidos, já que sentem que fizeram um bom trabalho enquanto pais?
Acho que sim. Sentimos acima de tudo que estamos a criar bons seres humanos, com valores. Mas claro que me zango, que tenho de os castigar, tudo o que qualquer mãe passa. Temos os mesmos problemas que outra família qualquer.
– Este ano celebraram 17 anos de casados...
E espero que se prolongue por muitos mais anos. Eu e o Fernando somos duas metades que se juntaram, e apesar de sermos completamente diferentes, traçamos o mesmo caminho. Dentro das nossas diferenças encontrámos o equilíbrio e o respeito. Sabemos diferenciar a brincadeira de um momento sério, sabemos divertir-nos juntos, mas também acatar com as responsabilidades... Acima de tudo, respeitamo-nos muito, e acho que isso é a base da vida e de um casamento. Somos cúmplices e inseparáveis. Ninguém é perfeito, e o grande segredo está em as pessoas perceberem que é muito importante não desistir e aceitar as diferenças dos outros.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras