Nas Bancas

144933790.jpg

Getty Images

Dominique Strauss-Kahn vai ser julgado por proxenetismo

O ex-diretor do FMI vai ser levado a tribunal penal.

Redação CARAS
27 de julho de 2013, 15:19

Dominique Strauss-Kahn vai ser julgado em tribunal penal por “proxenetismo agravado em reunião”.
O ex-director-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), de 64 anos, foi apanhado em 2012 no meio de uma grande investigação sobre proxenetismo em Lille, quando Strauss-Kahn participava em festas privadas com prostitutas, em Paris e Washington. Uma dessas festas ocorreu a 12 de Maio de 2011, dois dias antes de ter sido preso pela polícia de Nova Iorque, na sequência da acusação de violação pela empregada de quarto do Hotel Sofitel, Nafissatou Diallo.
O caso não parece ser linear e a justiça tem interepretações diferentes. Em Junho o procurador Frédéric Fèvre, do Ministério Público de Lille, tinha pedido que o caso contra Dominique Strauss-Kahn fosse arquivado com base nas declarações da defesa. Strauss-Kahn, ou DSK, afimrou que julgava estaar a participar em festas libertinas, e nunca pensou que estava com profissionais do sexo remuneradas.
A interpretação dos juízes de instrução do processo, Stéphanie Ausbart e Mathieu Vignau, é diferente e consideram uma definição mais lata de proxenetismo, para além do sentido comum de beneficiar financeiramente da prostituição de outra pessoa. “Em direito penal, a infracção de proxenetismo excede largamente esta acepção comum”, afirmou a juíza Ausbart ao Le Monde em Dezembro de 2012. É com base nessa visão mais lata de proxenetismo que DSK foi acusado.
Se for condenado, DSK fica sujeito a dez anos de prisão e uma multa que pode ir a 1,5 milhões de euros, de acordo com o Le Figaro.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras