Nas Bancas

1.jpg

D.R.

Linda de Suza desmente a sua própria morte

A cantora portuguesa confessou ao ‘Expresso’ que ficou surpreendida com os rumores que a dava como morta.

Redação CARAS
13 de abril de 2013, 10:00

Linda de Suza, de 65 anos, desmentiu os rumores que começaram a circular estaquinta-feira, 11 de abril, e que a davam como morta. A cantora, que alcançou osucesso nas décadas de 1980/90, tendo-se tornado num ícone incontornável damúsica portuguesa em França, disse ao semanário Expresso que ficou surpreendida com essas notícias.

Teolinda Joaquina de Sousa Lança nasceu a 22 de fevereiro de 1948, na pequenalocalidade de Beringel, Beja. Na década de 70, foi para França como emigranteclandestina e durante nove anos sobreviveu, juntamente com o filho, graças aoseu trabalho como empregada doméstica. Acabou por vingar no mundo doespetáculo, tendo alcançado o sucesso que lhe permitiu movimentar milhões deeuros. Hoje vive longe das luzes da ribalta, em condições modestas, a poucosquilómetros de Paris.
Ao Expresso, Linda de Suza voltou a afirmarque foi vítima das pessoas com quem trabalhou, sobretudo o produtor Claude Carrère, e até das entidadesfrancesa e portuguesas. "Na altura [décadade 80], quando tive imenso sucesso com osdiscos e os espetáculos, era muito ingénua e humilde, não percebia nada decontabilidade e de coisas da administração e aproveitaram-se, falsificaram osmeus documentos, usurparam a minha identidade, criaram sociedades e abriramcontas em bancos, até no Mónaco, que eu desconhecia, roubaram-me tudo",explica. "A produção não declarouquase nada em meu nome, como artista, nem aos impostos nem à segurança social,nem à sociedade que gere os direitos de autor, por isso hoje os francesesdizem-me que eu não tenho direito a nada", contesta Linda de Suza, quegarante ainda ter documentos que provam que “osserviços secretos franceses receberam ordens” para a vigiarem quandodenunciou “o roubo, em 1996”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras