Nas Bancas

Nicolau Von Rupp vence MOCHE Capítulo Perfeito

O surfista luso-alemão conquistou ainda os prémios de melhor tubo e melhor score.

Divulgação
21 de fevereiro de 2013, 19:04

Nicolau Von Rupp venceu a 2.ª edição do MOCHE Capítulo Perfeito Presented by Rip Curl, evento que juntou alguns dos melhores surfistas nacionais na praia de Supertubos, em Peniche, numa competição especial onde os atletas foram escolhidos pelo público.
Nicolau foi mesmo o homem do dia, protagonizando o único tubo nota 10 de todo o evento, na derradeira bateria, e perfazendo o melhor score (14.08 pontos) da prova, no heat dos quartos-de-final que o opôs a Ivo Cação e Rodrigo Herédia. Assim, para além do cheque da vitória, no valor de 5000 euros, o luso-alemão conquistou ainda os prémios de melhor tubo – um cheque Red Bull no valor de 2000 euros – e de melhor score – um relógio Rip Curl Titanium no valor de 549 euros.
A prova decorreu em ondas de 2,5 metros tubulares durante a manhã de terça-feira, com o vento on-shore a fazer-se sentir durante a tarde, o que forçou a organização a interromper momentaneamente a competição e a optar por expandir os critérios de julgamento, de forma a valorizar outro tipo de manobras que não somente os tubos. Mesmo competindo em condições difíceis, onde nem sempre foi possível encontrar os famosos tubos da célebre praia penichense, os surfistas não desapontaram, completando várias ondas na casa do excelente (acima de 8 pontos) e proporcionando momentos de grande intensidade ao público presente na praia.
Palco habitual da etapa portuguesa do World Tour (Circuito Mundial de Surf), que todos os anos traz os melhores surfistas de competição da atualidade a Peniche, a praia de Supertubos voltou a proporcionar a todos aqueles que assistiram ao MOCHE Capítulo Perfeito um espetáculo de surf inesquecível, com os atletas a demonstrarem grande comprometimento e mestria nas condições pesadas e imprevisíveis que se verificaram ao longo da prova.
Nicolau Von Rupp foi um dos primeiros atletas a chegar à praia, por volta das 07h00, participando numa breve sessão de aquecimento coletiva com alguns dos restantes surfistas, onde desde logo se destacou completando um dos maiores tubos do dia. Feliz com a vitória, Von Rupp começou por congratular a organização, afirmando que o seu triunfo no MOCHE Capítulo Perfeito teve um significado especial. “Vencer sabe ainda melhor nestas condições, quando nunca se sabe o que pode acontecer. O facto de estar on-shore, com ondas a virem de todas as direções, sem sabermos quais iriam abrir e quais iriam fechar, preocupou-me um pouco. Começar a final logo com um tubo de 10 pontos foi um alívio”, confessou.
O vencedor destacou ainda as condições gerais do evento, mostrando-se visivelmente satisfeito com a forma como foi recebido no MOCHE Capítulo Perfeito. “Desta vez não tivemos tanta sorte em termos de ondas, mas a forma como todos nós fomos recebidos não tem comparação com qualquer outro evento nacional. O simples facto de a organização ter-nos proporcionado um jantar entre todos na véspera foi determinante para o bom ambiente que se viveu. O surf é um desporto individualista e estes raros momentos em que estamos todos juntos a confraternizar fazem toda a diferença”, concluiu.
“As previsões apontavam para vento muito fraco ao longo de todo o dia, o que tecnicamente significa uma grande incerteza quanto à direção do vento”, disse Pedro Monteiro, diretor de prova. “Decidimos fazer o call com base no sucesso que as mesmas circunstâncias proporcionaram em 2012. Havia uma probabilidade muito elevada de termos vento favorável, uma vez que da parte da tarde as previsões apontavam para o quadrante Norte, com maior intensidade. Isto acabou por não acontecer e o vento que se fez sentir foi de Oeste a partir do meio-dia, o que nos obrigou a interromper o campeonato e esperar que o vento passasse para offshore. Assim que chegámos ao limite de tempo para a finalização do campeonato, tivemos de tomar a decisão de avançar com as restantes baterias e abrir o critério de julgamento também para manobras, de forma a viabilizar a espetacularidade das performances. Apesar de não se terem verificado as condições ideais, os surfistas estiveram ao seu melhor nível e assistimos a grandes momentos de surf hoje nos Supertubos.”
Em segundo lugar ficou o surfista do Algarve Marlon Lipke, campeão europeu em título. Marlon era, até à finalíssima, o candidato ao prémio de melhor tubo, com uma onda de 8,5 pontos logo no seu heat de estreia. Mesmo não vencendo, o também luso-alemão deu luta até ao fim, tendo sido um dos grandes destaques da prova.
Recorde-se que os atletas que participaram no MOCHE Capítulo Perfeito foram apurados pelo público através de votação online a partir de uma lista de 30 atletas previamente elaborada pela organização em conjunto com uma Comissão de Notáveis especialmente convocada para o feito. Fizeram parte da lista de convocados, para além dos surfistas acima mencionados, João Guedes, Francisco Alves, Ruben Gonzalez, Filipe Jervis, Alex Botelho, Edgar Nozes, Tomás Valente, Ivo Cação, António Silva, José Gregório, Rodrigo Herédia, Manuel Cotta, Ivo Santos e Guilherme Fonseca.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras