Nas Bancas

Caso Rui Pedro de novo em tribunal

Relação do Porto decide no dia 27 recurso do caso Rui Pedro. Pais não desistem de procurar o filho desaparecido há quase 15 anos.

Joana Brandão
6 de fevereiro de 2013, 18:36

"O Rui Pedro e os pais merecem que a justiça seja feita”, afirmou hoje Ricardo Sá Fernandes à entrada do Tribunal da Relação do Porto, onde o coletivo de juízes presidido por António Gama ouviu as alegações finais do advogado da família do menor desaparecido de Lousada a 4 de março de 1998, do magistrado Amaro Neves, em representação do Ministério Público, e de Paulo Gomes, advogado do arguido, Afonso Dias, que a 22 de fevereiro do ano passado foi absolvido pelo tribunal de primeira instância de Lousada da alegada prática do crime de rapto.

As declarações dos primeiros inspetores da Polícia Judiciária e o descrédito para com o testemunho da prostituta Alcina Dias, a par do que fez Rui Pedro depois do almoço do último dia em que foi visto continuam a ser os pontos-chave deste processo.

No centro da sala, o arguido manteve o silêncio, à semelhança do que fez durante todo o julgamento. "Condenem o Afonso Dias porque ele merecer ser condenado", disse Ricardo Sá Fernandes, referindo que aquele "está a esconder" a sua responsabilidade no desaparecimento de Rui Pedro. Paulo Gomes, por sua vez, considerou “inacreditável” que se defenda condenação do arguido.

Sempre presentes, os pais de Rui Pedro, Manuel Mendonça e Filomena Teixeira, assim como a irmã, Carina, o tio, Carlos Teixeira, e o primo, João André, não desistem de procurar o jovem desaparecido há quase 15 anos. Visivelmente debilitada, a mãe afirmou: “Tenho esperança que se faça justiça. Vamos esperar pela sentença, é um passo de cada vez.

Um ano depois do mediático julgamento, a família tem-se concentrado no trabalho para arranjar forças para continuar esta luta. “Temos tido uns dias melhores que outros, mas continuamos à espera”, disse à CARAS Manuel Mendonça, concluindo: “Seja qual for a decisão, não vamos desistir de procurar pelo Pedro. Depois das alegações que ouvimos hoje, alguma coisa tem de ser feita.


O tribunal marcou para o dia 27 a decisão sobre o recurso interposto pelo Ministério Público e pelos advogados da família de Rui Pedro.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras