Nas Bancas

jli-gracamoura-(9).jpg

João Lima

Miguel Graça Moura condenado a cinco anos de prisão

O maestro foi acusado dos crimes de peculato e falsificação de documentos, mas fica com pena suspensa.

Redação CARAS
29 de janeiro de 2013, 18:21

Miguel Graça Moura estava acusado pelos crimes de peculato efalsificação de documentos, de acordo com o acórdão hoje proferido em Lisboa.
O maestro terá de pagar indemnizações compensatórias à Câmara Municipal de Lisboa,no valor de 30 mil euros, e à Associação de Música, Educação e Cultura (AMEC)um total de 690.494 euros, dos quais 200.000 euros terão de ser pagos no prazode um ano. Caso não o faça será detido.
O maestro foi presidente da AMEC entre1992 e 2003 e foi acusado pelo Ministério Público de ter gasto 720 mil euros do erário público em artigos de lingerie masculina e feminina,compras em supermercado, mobiliário, gravadores, aparelhagens áudio, vinhos,charutos, jóias, obras de arte, entre outros. Em viagens para diversos países terá gasto um total de 214.377 euros.
O Ministério Público afirma que Miguel Graça Moura não fazia distinção entre gastos da AMEC e pessoais.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras