Nas Bancas

Fabrizio Corona

Fabrizio Corona

Getty Images

Fabrizio Corona: “Temo pela minha vida nas prisões italianas”

O famoso paparazzo italiano foi detido esta quarta-feira, dia 23, em Queluz.

Redação CARAS
24 de janeiro de 2013, 15:37

Fabrizio Corona foi condenado na passada sexta-feira, 18 de janeiro, pela justiça italianoa cinco anos de prisão efetiva por ter tentado extorquir 25 mil euros aofutebolista francês David Trezeguet, sob a ameaça de divulgar umafoto comprometedora do jogador com uma mulher. Refugiou-se em Portugal, masesta quarta-feira foi detido em Queluz.
De acordo com a advogada de Corona, NadiaAlecci, em declarações ao siteTGCom24, o fotógrafo só deixou o seu país por temer o que o esperava naprisão. “Não sou um fugitivo, saí deItália porque fiquei perturbado com uma sentença injusta e porque temo pelaminha vida nas prisões italianas”, terá dito Fabrizio Corona quando seentregou à polícia portuguesa e ao grupo de agentes italianos que estão no seuencalce há vários dias. Para provar que apenas queria proteger-se e não fugir,o fotógrafo indicou um local, a estação ferroviária de Queluz, e uma hora parase entregar às autoridades.
Contudo, Luigi Savina,superintendente da polícia de Milão, acredita que a detenção teria acontecidomesmo sem a colaboração de Corona: "Começámosa segui-lo mal desapareceu de Itália. Ele percebeu que o cerco começava aapertar-se. Percebeu que, uma vez queimado o contacto com as únicas pessoas queo apoiavam, não conseguiria mais apoio".
O paparazzo começou a ser ouvido esta quinta-feira no Tribunal da Relação deLisboa, no âmbito do processo de extradição para Itália.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras