Nas Bancas

Luísa Castel-Branco ‘ajuda’ a sorrir

Em tempo de crise, a escritora quis um livro com final feliz.

Redação CARAS
30 de dezembro de 2012, 14:00

Otimista por natureza e habituada a procurar o lado bom da vida, Luísa Castel-Branco demorou mais do que o habitual a escrever o seu mais recente romance, Diz-me Só a Verdade, como nos explicou no lançamento, na livraria Bulhosa das Amoreiras: “A história encaminhava-se para um final trágico, mas pensei que nesta altura da vida não poderia ser e que precisávamos de continuar a sonhar. Nesta história há uma segunda hipótese e acho que isso é muito importante para a vida”.
Feliz, a autora falou ainda dos dois netos, os gémeos falsos António e Vasco, que nasceram há três semanas: “Agora sou uma avó babada duas vezes [risos]. É fascinante e muito emocionante ser avó de gémeos. Um é parecido com o meu filho [António] e outro com a minha nora”.
Amigo da escritora há mais de duas décadas, Pedro Passos Coelho fez questão de estar presente: “Sou um habitué nestes dias, mas confesso que tenho a leitura em atraso. Tenho vontade de ler este, que que tem um final emocionante e restaurador da nossa esperança. A Luísa é uma amiga de longa data e por quem tenho uma grande estima”.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras