Nas Bancas

João Vale e Azevedo

João Vale e Azevedo

Paulo Jorge Figueiredo

Vale e Azevedo alega incumprimento da Justiça e volta a pedir libertação imediata

O antigto presidente do Benfica está preso em Sintra.

Lusa
27 de dezembro de 2012, 12:11

Vale e Azevedo voltou hoje a pedir a libertação imediata ("habeas corpus"), com o fundamento de incumprimento por parte da Justiça portuguesa de rápida decisão de liberdade condicional determinada pelas autoridades britânicas para a sua extradição para Portugal.
A advogada de Vale e Azevedo, Luísa Cruz, disse à agência Lusa que "a Justiça portuguesa aceitou sem reservas" a sentença de 12 de outubro deste ano do High Court of Justice, em Londres, que determina que os tribunais portugueses deviam decidir "em dias e não em semanas" a liberdade condicional do antigo presidente do Benfica.
A mandatária de Vale e Azevedo, extraditado para Portugal a 12 de novembro, lembrou que o presidente do Benfica de 1997 a 2000 já se encontra preso há mais de "um mês e duas semanas", no Estabelecimento Prisional da Carregueira, em Sintra.

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras