Nas Bancas

Hugh Jackman

Hugh Jackman

D.R.

Hugh Jackman emociona-se a falar da mãe, que o abandonou em criança

O ator chorou no programa '60 Minutes'.

Redção CARAS
11 de dezembro de 2012, 12:24

Hugh Jackman mostrou o seu lado mais sensível quando foi entrevistado para o programa 60 Minutes. O ator de Les Miserables, falou de como se sentiu quando a sua mãe, Grace, o deixou a ele, aos irmãos e ao pai quando tinha apenas oito anos e trocou a Austrália por Inglaterra. "Lembro-me da manhã em que ela partiu, é estranho as coisas de que nos recordamos", disse o ator, de 44 anos, com lágrimas nos olhos. "Lembro-me de ela ter uma toalha enrolada na cabeça e de dizer 'adeus'. Fui para a escola e quando regressei não estava ninguém em casa. No dia a seguir recebemos um telegrama de Inglaterra a dizer que a minha mãe estava lá. E foi isso. Mas não acho que ela julgava que ia ser para sempre. Acho que ela pensou: 'Eu só preciso de me afastar um pouco e depois regresso'. O meu pai rezava todas as noites para que ela voltasse", revelou o ator.
O ator é o mais novo de cinco irmãos e fala da relação que tem com o pai, Chris: "O meu pai é um rochedo. É o meu rochedo. Foi com ele que aprendi tudo sobre lealdade e podermos contar com a família, saber que alguém está lá para nós, dia após dia."
Foi por volta dos 12 anos que Hugh Jackman percebeu que a mãe não iria regressar. Depois do divórcio dos pais, as irmãs do ator, Zoe e Sonia, foram viver para Inglaterra com a mãe, enquanto ele e os irmãos, Ralph e Ian, ficaram em Sydney, na Austrália, com o pai.
Em entrevista à Women's Weekly o ator já tinha afirmado que apesar de a mãe o ter deixado nunca questionou o seu amor e que já a tinha perdoado: "Aquilo que eu nunca senti - e isto pode parecer estranho - é que ela não me amava. Falei com ela sobre isso várias vezes mais tarde e sei que ela estava a sofrer. Ela esteve no hospital depois de eu ter nascido com depressão pós-parto e ela não tinha uma rede de apoio aqui na Austrália. Mas chega uma certa altura na vida em que temos de seguir em frente. Não podemos ficar obcecados a pensar em como as coisas poderiam ter sido."
O ator é casado com Deborra-Lee Furness de quem tem dois filhos, Oscar e Ava, e contou ao 60 Minutes  que o pai ainda lhe dá conselhos: "São sempre acerca da família. E não sobre trabalho. Acho que ele tem alguns arrependimentos. E talvez sinta que, em determinadas alturas, se dedicou demasiado à carreira. E não quer que eu faça o mesmo erro. De forma simpática, está sempre a lembrar-me que a família é o mais importante".
E o ator parece seguir os conselhos do pai, uma vez que, nunca está afastado "mais de duas semanas" da família. "Preferimos que seja assim. Não gostamos de estar afastados muito tempo", afirma a mulher do ator.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras