Nas Bancas

Paulo Gonzo no Coliseu

“Eu não seria ninguém sem vocês, vocês seriam alguém sem mim, mas mais tristes.” (Paulo Gonzo)

Redação CARAS
29 de outubro de 2012, 16:59

 “Se alguma vez sonhei com isto? Não, eu nunca sonhei com nada, mas estou muito contente. Daqui para a frente sei que vem muito melhor, mas agora não é nisso que penso.” Foi assim, satisfeito, que Paulo Gonzo resumiu o seu estado de espírito depois do espetáculo que deu no Coliseu dos Recreios, e no qual recordou os já 35 anos de carreira que leva.
O desfile de êxitos começou com o incontornável So Do I. Ao longo da noite, Paulo Gonzo foi a imagem da felicidade ao ouvir o coliseu a acompanhar os refrães a plenos pulmões. Nas filas da frente muitos amigos, fãs incontestados como Catarina Flores, Pequenina Rodrigues, Joana Lemos, Manuel Reymão Nogueira e Pedro Luz juntavam as suas vozes ao coro gigantesco que embalou temas como Jardins Proibidos ou Sei-te de Cor.
Logo no início do concerto, Paulo Gonzo declarou: “Eu não seria ninguém sem vocês. Vocês seriam capazes de ser alguém sem mim, mas mais tristes.” Depois de mais uma ovação, convidou o público a acompanhá-lo nas suas histórias e músicas e propôs “duas horas de companheirismo”. Foi o que aconteceu.
Já nos bastidores, com o bar dos artistas repleto de amigos, o músico não chegava para as solicitações de beijinhos e autógrafos e depois de muito lhe pedirmos, aceitou deixar-se fotografar com o filho, Francisco, um momento quase inédito na vida de pai e filho. “Vá lá, eu não gosto nada disto...”, condescendeu, sorridente. Nós agradecemos o momento de ternura.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras