Nas Bancas

Renato Seabra

Renato Seabra

D.R.

“Já não sou gay”, disse Renato Seabra a Carlos Castro na véspera do crime

Vanda Pires, amiga de Carlos Castro, testemunhou durante o julgamento de Renato Seabra e afirmou que o casal tinha discutido na véspera da morte do cronista social, a 7 de janeiro de 2011.

Redação CARAS
11 de outubro de 2012, 12:25

Vanda Pires, amiga de Carlos Castro, testemunhou ontem na segunda sessão de julgamento de Renato Seabra, em Nova Iorque. Durante a audiência, Vanda afirmou que o casal se mostrou apaixonado nos Estados Unidos e que só na manhã do crime, a 7 de janeiro de 2011, é que Carlos Castro lhe disse que tinham passado a noite a discutir. “Disse-me que ia antecipar a viagem de regresso a Portugal e que cada um seguiria o seu caminho”, contou.
Segundo Vanda, Renato Seabra disse ao cronista na véspera do crime: “Já não sou gay e prefiro masturbar-me a dormir com um homem mais velho”.
Com este testemunho, o Ministério Público tentou provar que o jovem estava lúcido e que tudo corria bem até à véspera do homicídio. Só na noite de dia 6 de janeiro, quando Vanda Pires chegou ao hotel Intercontinental para irem jantar, é que encontrou Carlos Castro “infeliz”, à procura de Seabra, que teria saído com umas raparigas que tinha conhecido. “O Carlos era capaz de lhe entregar o cartão de crédito. Deu-lhe dinheiro para jogar”, revelou Vanda, sobre uma ida aos casinos de Atlantic City.    
Vanda Pires recordou também os jantares com Castro e Seabra, durante os quais pareciam verdadeiramente apaixonados. “Lembro-me do Renato estar a dar-lhe comida à boca e o Carlos responder com um sorriso. Pareciam muito amigos e cúmplices. Era uma relação normal”, explicou.
De acordo com o advogado do jovem, David Touger, a mudança de comportamento descrita por Vanda Pires é “muito importante” e será “demonstrada à medida que o julgamento avance”.
O testemunho de Vanda Pires continuará esta quinta-feira. Na terceira sessão, serão ainda ouvidos elementos do staff do hotel, entre eles o segurança e a empregada de limpeza que esteve no quarto onde a vítima foi encontrada.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras