Nas Bancas

Diana Chaves:"Agora tenho menos peso, mas falta-me o exercício físico para me sentir melhor"

A apresentadora foi mãe de Pilar, há sete meses. Diana Chaves já recuperou a boa forma e está de regresso à televisão como jurada do programa da SIC ‘Toca a Mexer’.

Inês Mestre
7 de outubro de 2012, 10:01

Sete meses depois do nascimento de Pilar, Diana Chaves, de 31 anos, está em forma, com um novo visual e de regresso à televisão. A CARAS esteve com a apresentadora, que nos contou como tem sido a experiência da maternidade e a sua nova vida ao lado da filha e do marido, o futebolista do Gil Vicente César Peixoto, de 32 anos, e o filho deste, Rodrigo, de seis.
A atriz estreou-se há dias como jurada no novo programa da SIC, Toca a Mexer, e confessa que já sentia saudades de trabalhar.
Como tem sido experiência da ma­ternidade?
Diana Chaves
– Maravilhosa. É mesmo a melhor coisa do mundo. Acho que tenho sorte, porque a Pilar é um anjinho, come bem, dorme bem, chora pouco. É muito divertida, expressiva, curiosa e já faz muitas gracinhas. É um bocadinho cansativo, obviamente, pois mesmo não sendo um bebé difícil, de repente vivemos em função de alguém. É a maior responsabilidade do mundo, mas é também a melhor coisa do mundo.
E o César, é o tipo de pai que faz tudo?
– Sim. Acho que hoje em dia, em geral,  já não é a mulher a fazer tudo sozinha. E ele gosta de fazer tudo. Sempre fez isso com o Rodrigo e agora continua a fazê-lo com a Pilar.
Os pais costumam tratar as meninas de maneira diferente...
– Eu acho que as meninas é que tratam os pais de maneira diferente! A Pilar vê o pai ao longe e ri-se logo, é uma loucura com ele! E o César com ela! Mas ele é igual com o Rodrigo, comporta-se da mesma forma.
E como é o Rodrigo com a irmã?
– Como qualquer outra criança que tem um irmãozinho: delira com ela e adora-a. E ela a ele!
E a Diana, sente-se diferente agora?
– Não sinto uma diferença em mim, mas na forma como perspetivo as coisas, pois a nossa vida muda: tudo é feito em função do bebé. Mas isso não é mau, pelo contrário, fazemo-lo com uma alegria enorme. É tão importante e tão bom que passamos a relativizar tudo.
Já tem passado alguns momentos sem a Pilar, nomeadamente como aconteceu hoje, durante esta produção. É difícil gerir as saudades?
– Não é fácil, mas acho que é necessário haver algum espaço, penso que isso faz bem, é um processo natural e as rotinas têm de voltar à normalidade. E, graças a Deus, temos a família disponível para ficar com a Pilar quando é preciso.
– Com o César a trabalhar em Braga e a Diana a ter de vir a Lisboa todas as semanas, a gestão da vida familiar torna-se mais complicada?
– Não é nada complicada, só implica fazer mais viagens.
O nascimento da Pilar mudou a sua relação com o César?
– A relação não muda, o que muda são as rotinas e as prioridades. Já vivíamos com o Rodrigo, por isso não mudou assim tanto.
E gosta de ter uma menina?
– Adoro! Queria uma menina e acho o máximo! As roupinhas são lindas!
É mãe-galinha ou descontraída?
– Toda a gente diz que eu sou uma mãe-galinha, mas eu acho que sou descontraída! Pensei que fosse ser mais ‘galinha’, mas tento travar-me um bocadinho, porque acho que isso também não é muito saudável. Eu sou muito protetora com o César, com as minhas irmãs, com a minha família e com a Pilar não iria ser diferente. Cuido muito dos outros, por isso é que eles dizem que eu sou ‘galinha’!
Gostava de ter mais filhos, ou ainda é cedo para pensar nisso?
– Gosto de famílias grandes, mas ainda é muito cedo!
E continua a não pensar em casamento?
– Não, sou uma pessoa moderna! Se algum dia fizer sentido e me apetecer casar, caso-me. Mas enquanto não acharmos que não muda nada nem faz diferença, não pensamos casar.
Já está em boa forma!
– Estou! [risos] Na verdade, falta-me o exercício físico para me sentir melhor. Acho que a gravidez acaba por ser, para algumas mulheres, uma desculpa para engordarem 20 quilos!
– Que não foi o seu caso...
– De todo, nem conseguiria, se quisesse, porque os meus hábitos alimentares não me permitiriam engordar tanto. Há que ter alguma disciplina e mantê-la mesmo durante a gravidez. A genética também dará o seu contributo, claro, mas o segredo é manter os cuidados mínimos e, até a pensar no bebé, engordar só os quilos necessários. E depois do bebé nascer não é nada complicado voltar à forma inicial.
E já tem o peso que tinha? Até parece ter menos...
– Sim, tenho menos peso, mas lá está, terei perdido massa muscular pela falta de exercício. Já comecei a fazer algum, mas devagarinho. A perda de peso foi natural, mas claro que os meus hábitos alimentares também ajudam. Como de tudo um pouco, não me privo de nada, mas evito grandes quantidades de comida e não me deixo tentar por doces ou fritos.
Entretanto, mudou de cor de cabelo. Já se habituou?
– No início foi um choque, porque foi uma diferença muito grande. Mas agora adoro!
E qual foi a reação da sua família?
– Eles gostaram imenso. Eu assustei-os um pouco porque disse que ia pintar de escuro e podia não ficar bem. Mas eles adoraram e algumas pessoas até preferem assim.
Tem cuidados específicos com o cabelo?
– Tenho alguns. Uso produtos da Garnier, um champô apropriado para o meu cabelo, uma máscara e outros produtos para dar brilho.
E que outros cuidados tem com a sua imagem, no geral?
Uso cremes e tenho sempre o cuidado de me desmaquilhar bem e usar cremes apropriados. E tenho sempre à mão um produto maravilhoso da Garnier, o BB Cream. É hidratante, tem proteção, brilho, cor... Põe-se e fica-se logo com bom ar!
E tem algum truque ou segredo de beleza?
– Há um que é óbvio, mas que ultimamente não tenho conseguido pôr em prática: dormir bem! Eu até durmo algumas horas, mas acordo muitas vezes por causa da Pilar.
E é uma mulher vaidosa?
– Sim, claro. Não sou muito exagerada, até porque tenho um estilo mais prático, mas sim, sou vaidosa.
Sei que estava ansiosa por regressar ao trabalho. Como correu a estreia do programa? Estava nervosa?
– Uma estreia é sempre uma estreia, implica alguns nervos e ansiedade, mas acho que correu lindamente.
– Como se sentiu no papel de jurada?
– É uma posição um pouco ingrata, porque temos de avaliar os concorrentes, no entanto, fui honesta nas minhas avaliações, dando sempre uma palavra de motivação.
– Como se sentiu entre o Paulo Futre e o Miguel Abreu?
– Já me apelidaram de ‘árbitro’ do júri, penso que já assumi um papel de mediadora entre os dois. São uma excelente companhia.
– O que achou da perda de peso dos concorrentes?
– Impressionante! É incrível como, numa semana apenas, conseguiram perder peso. Fiquei surpreendida com alguns deles, confesso.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras