Nas Bancas

José Coimbra, popular voz da rádio, e Andreia Cruz vão ser pais

Depois de quase seis anos a viverem juntos, o radialista José Coimbra e a educadora de infância Andreia Cruz decidiram que era tempo de se estrearem no papel de pais. Leonor nasce dentro de um mês.

Redação CARAS
6 de outubro de 2012, 10:00

Se antes se levantava cedo por causa do horário bem ma­drugador do programa da manhã da RFM, onde se mantém há dez anos, a partir de outubro José Coimbra arrisca-se a saber o que é passar umas noites sem dormir. É que o animador de rádio vai ser pai brevemente. A mãe é Andreia Cruz, educadora de infância, irmã da também animadora de rádio e antiga apresentadora de televisão Joana Cruz.
José começou na rádio por graça, ainda estava no liceu, em Santarém, e ficou. Até hoje. Depois de descobrir a magia da rádio, nunca pensou em fazer mais nada na vida senão estar à frente dos microfones. Já lá vão 25 anos. Levanta-se às cinco da manhã desde 1991 e hoje tem a sorte de morar perto do local de trabalho. Com a chegada de Leonor, muito em breve, o casal está preparado para novos ajustes na sua vida e se os fins de semana eram vividos intensamente, agora ainda vão ser mais, uma vez que José Coimbra termina o dia de trabalho por volta das nove da noite e vai ter de compensar a família aos sábados e domingos.
– Está preparada para as ausências do José quando a Leonor nascer?
Andreia Cruz – Acho que vai correr bem. Vamos ter um período de adaptação, mas vamos conseguir.
José Coimbra – Há vidas piores [risos].
– Foi amor à primeira vista?
Andreia – Fomos -nos conhecendo e tudo aconteceu naturalmente. Como não sou uma pessoa de sair à noite, a coisa foi fácil.
José – Já vivemos juntos há seis anos e esta decisão de sermos pais foi amadurecendo. Não era algo que eu quisesse muito há alguns anos, por causa da vida que tenho, mas agora fez sentido.
– Está preparado para ter noites ainda mais curtas do que as habituais?
Tenho esperança de que seja uma bebé tranquila. Ouço dizer que as há, não é mito. Há crianças que dormem a noite toda e eu estou a rezar aos santinhos todos para que ela seja assim.
– Como é que imagina a experiência? Vai ter coragem para assistir ao parto?
– Imagino-me com ela a dormir em cima do meu peito, por exemplo. Estou com uma grande expectativa e sei que vou viver num mundo totalmente novo. Só pode ser uma coisa boa que aí vem. Nunca ouvi ninguém que se tivesse arrependido. E sim, vou assistir ao parto.
Andreia – Eu quero que ele esteja ali, de mão dada e a ajudar-me a fazer força. Ele tem sido sempre muito presente.
– Está ansio­sa em relação ao parto?
Já começo a pensar em como vai ser, mas estou a adorar estar grávida. Só tive enjoos até aos três meses e depois mais nada. Acho que está tudo a passar muito depressa. Para já, estou a adorar.
– Acha que se vai tornar uma pessoa diferente com o nascimento da Leonor?
José – Este é um país que não fomenta a natalidade, acho que as pessoas até são pe­na­lizadas por terem filhos. Nós arriscámos... Acho que vou ser um pai mui­to preocupado, pois acho que sou um bocadinho obsessivo, mas para já não estou preocupado. Espero manter-me com esta descontração relativa, mas depois de ela nascer tenho consciência de que isto vai mudar. Espero não dar em maluco!
– Por mais quanto tempo se vê a fazer o programa da manhã da RFM?
José – [risos] Nunca pensei nisso! Nunca pensei muito na vida a médio prazo. As coisas foram acontecendo. Tenho tido a sorte de correrem bem. Agora com o nascimento de uma criança vou ter de pensar mais a médio e longo prazo. De qualquer forma, vejo-me a fazer aquilo até me deixarem...

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras