Nas Bancas

Aos 62 anos, Alexandra revela: “A velhice não me assusta”

A fadista afirma que ainda se sente cheia de energia e garante que o passar dos anos não a preocupa.

Inês Mestre
24 de junho de 2012, 15:00

Aos 62 anos, Alexandra assegura que ainda tem muitaenergia e vontade de trabalhar, mas admite que já pensa quando irá deixar ospalcos. Nos dois últimos anos a fadista esteve no Casino Estoril comespetáculos de Filipe La Féria e agora vai dedicar-se à sua casa defados, Marquês da Sé, a dar concertos e a preparar-se para gravar um novodisco. Nesta entrevista, a cantora falou-nos da sua carreira e do seu grandepilar, a família. Casada com José Gaspar, de 58 anos, de quem tem umfilho, Gustavo, de 24, Alexandra é ainda mãe de Paulo, de 42anos, fruto de um casamento anterior.
Vai fazer 35 anos de carreira em novembro. Que balanço faz?
Alexandra – Um balanço muito positivo, não me posso queixar. A minhacarreira tem tido picos, mas sou muito bem recebida e acarinhada pelo público.
Já pensa em deixar os palcos?
– Claro que sim. Até porque não quero ficar nos palcos até muito tarde. Querodeixar de cantar ainda com voz, não quero que as pessoas tenham pena de mim ouque digam que eu já devia ter parado. Espero ter o discernimento de perceberquando chegar a altura e acho que não irei sentir saudades do palco. Talvez, naaltura, venha a ter, mas agora acho que não.
Tem planos para quando esse momento chegar?
– Acho que me vou desligar completamente. Espero já ter netos para me entretercom eles e gostava muito de viajar, porque é algo que me dá muito prazer. Gostode países tropicais, de calor, sol e praia. O meu sonho era ir viver paraÁfrica novamente, mas sei que isso não é possível, porque tenho os meus filhoscá.
– Está casada há 25 anos. Qual é o segredo?
– Passados tantos anos já não há aquela paixão, mas fica a amizade, o carinho,a ternura, a compreensão... Habituamo-nos a ter aquela pessoa ao nosso lado e ater o seu apoio. Já não me imagino a viver sem o José. E o nosso filho Gustavotambém faz com que haja uma grande união entre nós.
– O apoio da família é importante...
– Eu dou muita importância à família. É importante estarmos todos juntos esermos uma família unida. Os meus filhos são a minha grande força paracontinuar a trabalhar e a cantar. Eles são as pessoas que eu mais adoro e,apesar de terem 19 anos de diferença, dão-se muito bem e isso deixa-me feliz.Tenho uma vida familiar equilibrada, estável e feliz.
– Aos 62 anos, como lida com o passar dos anos?
– Lido bem, a velhice não me assusta. Tenho medo das doenças, mas se for umavelhota espevitada vou viver esses tempos com tranquilidade, sem saudades nemamarguras. Sinto-me lindamente, ainda com energia e vontade de trabalhar. Oimportante é vivermos a vida como gostamos e fazer aquilo que nos deixafelizes. Porque o tempo passa muito depressa.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras