Nas Bancas

Bárbara Guimarães na pele de ruiva: “Este tom transmite muita energia”

A jurada do programa ‘Ídolos’, da SIC, garante que está muito feliz com a sua nova imagem.

Marta Mesquita
23 de junho de 2012, 12:00

BárbaraGuimarães já queriamudar de visual há muito tempo, por isso, quando surgiu a oportunidade depintar o cabelo com o tom sweet cherry, uma das quatro cores da novacoleção Excellence Vermelho Cherry, da L’Oréal Paris, a jurada do programaÍdolos não hesitou  e trocou o seutom castanho pelo vermelho. A apresentadora revelou a sua nova imagem à CARAS epartilhou como se sente na pele de uma ruiva.
– Porque é que decidiu mudar a cor do cabelo?
Bárbara Guimarães – Há já algum tempo que falei com a L’Oréal Paris emostrei interesse em mudar a cor do cabelo. E finalmente surgiu esta nova cor, sweetcherry 5.6, uma das quatro da nova coleção da Excellence. Fizeram váriostestes para ver se a cor me ia ficar bem e avançámos. Há uma mudança grande empassar de um castanho-claro para um vermelho-cereja! E, estando eu a fazer dejurada no Ídolos, que é um programa de música pop, em que aatitude é muito importante, achei que seria a altura ideal para uma mudança.
– Desde que começou a traba­lhar em televisão nunca fez grandes alteraçõesno seu visual...
– Nunca houve uma mudança tão grande como esta. E o que é certo é que me sintomuito bem com esta nova imagem. O vermelho é uma das cores de que mais gosto,porque me transmite muita energia. Este tom mais quente, doce como as cerejas, comreflexos vivos e elegantes, tem muito a ver comigo. Sinto-me muito bem com estacor, que me ilumina o rosto. Penso que a mulher portuguesa tem um certo medo dearriscar em mudanças mais fortes, e assim, para quem quiser, posso servir umbocadinho de exemplo. Para mim, esta cor tem personalidade.
– Esta mudança também teve impacto na sua atitude?
 – Completamente! Temos uma atitudediferente perante uma mudança como esta. No meu caso, esta cor é tão quente,positiva e com tanta energia que muda obrigatoriamente algumas coisas, como,por exemplo, a roupa que uso. Agora posso brincar mais com as minhas roupas,fazer outras combinações.
– Já se habituou à Bárbara que agora vê no espelho?
– Ainda me estou a habituar e gosto de me ir descobrindo dia­riamente nessamudança.
– E o que é que os homens lá de casa, o seu marido, Manuel Maria Carrilho, eo seu filho, Dinis, acharam desta mudança?
– Os meus homens adoraram a cor! A minha avó também gostou bastante e confessoque estava com algum receio da sua reação. A minha avó sabe que gosto dearriscar e de fazer surpresas.
– Já trabalha em televisão há vários anos. Sente que é importante mudar devez em quando para surpreender o público?
– Sim, por isso é que tento diversificar o meu trabalho em televisão. Olhandopara o ano que passou, do Portugal Tem Talento para o Peso Pesadohá uma mudança em termos de apresentação. E agora sou jurada no Ídolos.Portanto, a diversidade faz parte do meu trabalho. Tento reinventar-me muitasvezes e esta mudança vai ao encontro disso. E estava na altura certa, agora queestou no Ídolos. Estou sempre a dizer aos candidatos: “Arrisquem,descubram-se, reinventem-se, tenham atitude, personalidade!” Então, porquenão eu própria fazer isso? [Risos]
– Pode-se então concluir que não joga sempre pelo seguro...
– A minha vida tem falado um pouco por si... Há já uns bons anos que as pessoasme vão vendo e reconhecem o meu trabalho. Correr alguns riscos faz parte daminha maneira de estar.
– Está a gostar da experiência do Ídolos?
– Estou a gostar muito desta fase dos diretos. Adoro falar com os candidatos,de lhes transmitir o que mais gosto em cada um, o que me toca mais, realçar assuas particularidades... A minha presença ali tem muito a ver com a minhasensibilidade, que é de alguma maneira comum à do grande público. Transmito oque sinto.
– O Ídolos é um programa sobre sonhos. Transpondo esta ideia para si,a Bárbara tem a vida com que sempre sonhou ou ainda tem sonhos por alcançar?
– Ainda tenho muitos sonhos por concretizar e espero ter tempo para isso. Avida é sempre uma conquista, independentemente da nossa idade.
– Já há projetos para depois do Ídolos?
– Agora estou muito centrada nesta etapa do Ídolos, mas estou sempre comnovas ideias e projetos, sobretudo numa altura tão desafiante como a que vivemos.Temos de ter criatividade, porque temos de fazer mais com menos. A televisão éuma porta aberta para sermos criativos.
– Com uma agenda profissional tão preenchida, é preciso muita criatividadepara ser uma mãe presente para o Dinis [de oito anos] e para a Carlota [de umano e oito meses]?
– Estou sempre disponível para os meus filhos e organizo-me de forma a tertempo para eles e para mim própria. O Dinis vai entrar em férias escolares evai ser bom poder estar mais com ele durante a semana.
– A sua vida mudou muito com o nascimento da Carlota?
– Ter dois filhos é mais exigente, mas também temos muito mais amor paradar. Os meus filhos dão-se muito bem, ela tem uma paixão louca por ele, e elepor ela. De manhã, o Dinis quer ir logo ter com a irmã. É maravilhoso!
– Quais são os rituais que não dispensa para manter a boa forma e se sentirbonita?
– Gosto muito de andar a pé, de vez em quando vou ao ginásio e faço pilates.Mas, essencialmen­te, gosto muito de andar a pé e muitas vezes acompanhada pelomeu marido, que também gosta de andar depressa.
– E assim também é uma maneira de estarem juntos a sós...
– Exatamente! Andar a pé é das coisas mais românticas... E nem custa dinheiro!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras