Nas Bancas

Paco Bandeira volta a tribunal

O músico é acusado de violência doméstica contra a ex-mulher, Maria Roseta, e a filha de ambos, Constança.

Redação CARAS
29 de maio de 2012, 14:54

Paco Bandeira e Maria Roseta regressaram estatarde ao Tribunal de Oeiras para mais uma sessão do julgamento em que o cantoré acusado de violência doméstica contra a ex-mulher e a filha de ambos, Constança, de 13 anos.
A sessão teve início com Paco Bandeira, de 67 anos, a prestar declaraçõescomplementares. O artista, que começou por dizer que queria fazer essasdeclarações porque vai ser submetido a uma intervenção cirúrgica na próximasexta-feira, 1 de junho, optou por ler o que queria dizer em tribunal. “Não sou perfeito e não sou um maridoperfeito (…) Nunca tentei qualquer tipo de coação, nem psicológica, a MariaRoseta”, começou por dizer Paco Bandeira, antes de afirmar que “houve zangas”, mas que a ex-mulher “nunca foi pressionada” para ficar comele. “Nunca lhe toquei num fio de cabelo.Acredito na verdade e no tribunal. Estou arrependido, não por estar notribunal, mas porque este processo já fez uma vítima, a minha filha Constança,que está neste momento dividida entre dois amores, o pai e a mãe”,acrescentou o músico, emocionado e a chorar. “Se a mãe ganhar, ficará com o peso na consciência por ter condenado opai…”, diz ainda, antes de interromper a leitura, que não consegue terminarpor estar a chorar.
Começaram então a ser ouvidas as testemunhas de defesa. O músico Jorge Ganhão já prestou o seudepoimento e garantiu que “Paco não éautoritário, nem controlador, nem obsessivo, nem ciumento”.
Entre o rol de testemunhas de defesa do intérprete de A Ternura dos 40 está também uma das suas filhas mais velhas, Ana Paula. Esta começou por esclarecerque “nunca esteve muito presente norelacionamento” do pai com Maria Roseta, mas que ele “tem sido um excelente pai para a Constança e [que] tem com ela um relacionamento decumplicidade e amor”. Ana Paula Bandeira referiu também que, inicialmente,o músico se mostrava contra a ideia de Maria Roseta engravidar, mas que estaacabou por convencê-lo. Depois explicou que não existia qualquer relação entreas filhas mais velhas de Paco e a nova família deste: “A Maria Roseta sempre tentou boicotar qualquer ambiente social onde eue a minha irmã [Maria da Conceição]estivéssemos”.
“A Maria Roseta contradizia o meu pai.Cada vez que ela vinha falar comigo, eu virava-lhe as costas. Não tenhoqualquer tipo de relação com ela, mas ela dizia-me que o meu pai era louco emegalómano”, recordou ainda.
A última testemunha de hoje, Maria deFátima Sobral Mendonça, designeramiga da família, confirma “algunsepisódios mais tensos entre o casal”. Contudo, esclarece que nunca ouviu oPaco a ser rude e que Maria Roseta é que tentava criar situações de conflito.
Maria da Conceição Bandeira, a outra filha do músico, será ouvida na próximasessão do julgamento.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras