Nas Bancas

Morreu o pianista Bernardo Sassetti

O pianista e compositor Bernardo Sassetti, de 41 anos, caiu de uma falésia, na zona do Guincho, em Cascais. O corpo foi resgatado ontem à tarde.

Redação CARAS
11 de maio de 2012, 13:32

Bernardo Sassetti “morreu na sequência de uma queda de uma falésia”, confirmou o pianista Mário Laginha à agência Lusa. O corpo foi encontrado ontem, numa zona rochosa conhecida por Os Cinzentos, junto à Praia do Abano, no Guincho, Cascais, onde o músico se encontraria a tirar fotografias, de acordo com fonte próxima da família, mas a data da morte ainda não foi confirmada.
Segundo o site do Expresso, durante a operação de resgate levada a cabo por elementos dos Bombeiros Voluntários de Alcabideche, Polícia Marítima, Instituto de Socorros a Náufragos e INEM, foram colocadas as hipóteses de acidente e de suicídio. O corpo foi levado para a morgue do Cemitério da Guia, em Cascais, onde foi identificado por familiares hoje ao início da tarde. A autópsia terá lugar este sábado.
O compositor e pianista português, que completaria 42 anos no próximo dia 24 de junho, tinha cancelado recentemente um espetáculo na Culturgest, evocando motivos de saúde.
Bernardo Sassetti era casado com a atriz Beatriz Batarda, de quem tinha duas filhas, Leonor, de oito anos, e Maria, de seis.
O músico, formado em piano clássico, iniciou a sua carreira profissional em 1987, com o Quarteto de Carlos Martins e o Moreiras Jazztet. Sete anos depois, surgiu o primeiro álbum em nome próprio, Salssetti.
Em 1997 gravou What Love Is com Guy Barker, acompanhado pela Orquestra Filarmónica de Londres e com Sting como convidado especial. Durante o tempo em que viveu na capital inglesa, participou também na longa-metragem O Talentoso Mr. Ripley (1999), de Anthony Minghella.
Em 2002 recebeu o Prémio Carlos Paredes pelo seu disco Nocturno. Depois disso, em 2004, gravou ainda Índigo e Livre. Dois trabalhos bastante aplaudidos pela crítica.
É por esta altura que o seu trabalho como compositor começa a ser bastante reconhecido, com especial destaque para obras como Ecos de África, Sons do Brasil e Entropé para piano e orquestra e 4 movimentos Soltos para piano, vibrafone, marimba e orquestra.
O projeto 3 Pianos, que abraçou com Mário Laginha e Pedro Burmester é talvez o seu trabalho mais conhecido do grande público. Mário Laginha/Bernardo Sassetti, Grândolas (uma homenagem a Zeca Afonso e aos 30 anos do 25 de Abril) e Piano a 4 Mãos, são os nomes dos três álbuns que gravou com Mário Laginha.
O pianista, bisneto de Sidónio Pais, Presidente da I República, foi um dos músicos que mais compôs para o cinema português. Alice, de Marco Martins, Um Amor de Perdição, de Mário Barroso, e Second Life, de Alexandre Valente, são alguns dos filmes que contam com temas da sua autoria na banda sonora.
Clique aqui para saber mais sobre o percurso de Bernardo Sassetti no site da Visão

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras