Nas Bancas

Eduardo Souto Moura fala sobre o Pritzker em noite de distinção

“É um prémio de reconhecimento que me dá otimismo nesta situação catastrófica em que estamos.” (S.M.)

Redação CARAS
25 de abril de 2012, 14:00

Eduardo Souto Moura recebeu no último dia 11 o Prémio de Personalidade do Ano da Associação de Imprensa Estrangeira em Portugal, numa cerimónia que teve lugar no Casino Estoril e que foi presidida pela ministra Assunção Cristas. Ocasião para o arquiteto portuense, que em 2011 venceu o Pritzker – considerado o Nobel da Arquitetura e que já distinguiu nomes como Frank Gehry, Oscar Niemeyer ou Siza Vieira –, referir, com a sua conhecida modéstia: “O Pritzker é o máximo dos prémios na Arquitetura, mas se ficarmos a pensar nisso não fazemos mais nada. O melhor é esquecer e a vida continuar. Quanto a este, é um prémio de reconhecimento  que me dá otimismo nesta situação catastrófica em que estamos”.
O prémio Personalidade do Ano é atribuído, anualmente, pelos jornalistas estrangeiros acreditados em Portugal, recaindo a escolha na personalidade ou entidade que mais fez pelo nome do nosso país no exterior.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras