Nas Bancas

Carolina Patrocínio revela: "Fico ansiosa em sessões fotográficas"

A apresentadora, de 24 anos, confessa algumas inseguranças e fala da relação com Gonçalo Uva.

Inês Mestre
25 de abril de 2012, 16:00

A trabalhar em televisãohá oito anos e habituada a ser fotografada em eventos e produções para asrevistas, Carolina Patrocínio, de 24 anos, confessa que ainda fica umpouco ansiosa nas sessões fotográficas. Uma curiosidade inesperada, já que aapresentadora do Mundo de Carolina, rubrica do programa Fama Show,é, além disso, a cara da Swatch, para a qual faz regularmente sessõesfotográficas. Este acabou por ser o ponto de partida de uma conversa onde ajovem apresentadora falou também um pouco sobre a relação com o namorado, GonçaloUva, de 28 anos, jogador de râguebi.
Durante esta sessão fotográfica desabafou que não gosta de serfotografada. É uma manifestação curiosa vinda de alguém que faz televisão e éfotografada com frequência...
Carolina Patrocínio – Sim, é verdade que estou na SIC há já oito anos,mas estou muito mais à vontade à frente das câmaras, e com as equipas deprodução, do que nestas sessões fotográficas. Fico com alguma ansiedade e evitoao máximo fazê-las! Nunca gosto de me ver, mas sei que é algo que vem com omediatismo e com o facto de aparecer na televisão. Temos de saciar a vontade dopúblico de nos conhecer um bocadinho através das entrevistas, mas confesso quenão morro de amores por isto...
Porque se sente insegura?
– Um bocadinho, sim. Principalmente quando vejo o resultado, porque normalmentenão gosto de me ver.
Isso tem a ver com alguma insegurança em relação ao seu corpo?
– Acho que somos eternamente insatisfeitos com o nosso corpo. O mais importantepara mim é manter-me saudável, exercitada e comer corretamente. Tenho muitocuidado com o meu corpo e gosto de trabalhá-lo para me sentir bem. Em relaçãoàs fotos, é a insegurança de saber que não tenho um corpo de modelo e quemuitas vezes elas não saem como eu gosto.
Esperemos então que venha a gostar destas... Como é o seu dia-a-dia?
– Tenho uma vida pouco convencional porque o meu trabalho exige que eu andefora do país. Os conteúdos do Mundo de Carolina são única eexclusivamente sobre viagens e gravo no estrangeiro. São dias longos degravação, mas que me dão imenso gozo. Quando estou em Lisboa, aproveito paraestar com a minha família, tratar da casa, treinar...
Dos sítios onde já esteve em trabalho, qual o que mais gostou?
– Fiquei completamente apaixonada pelos Açores, onde estive recentemente, e quefoi uma estreia para mim. Gosto muito de viajar e sinto-me uma verdadeirasortuda por este ser o meu trabalho. Até porque o trabalho não se esgota naviagem em si, mas começa na pesquisa sobre o destino e isso também éenriquecedor. Viajar em trabalho é diferente de viajar em lazer, mas é muitobom ter esta oportunidade.
Quando está no estrangeiro pensa nas pessoas que gostaria de ter ao seulado?
– Penso sempre que tenho de voltar com a minha família, ou com o Gonçalo. Pensonas pessoas com as quais gostava de estar a partilhar aquele momento porque afelicidade é maior quando partilhada com as pessoas de que gostamos. E tirosempre notas dos sítios onde estive para depois lá voltar.
– Com essas viagens constantes, é fácil gerir a relação com o seu namorado?
– Eu passo muito tempo fora e o Gonçalo mais ainda, porque é capitão da SeleçãoNacional de Râguebi e tem muitos jogos no estrangeiro. Hoje em dia temos de nosorganizar para nos vermos em Lisboa, mas esses tempos são muito bemaproveitados.
Estão juntos há quase quatro anos. Que balanço faz da relação?
– Não querendo cair em clichés, posso dizer que nos damos muito bem e que nosapoiamos muito um ao outro.
Partilhava casa com uma das suas irmãs, mas, desde que ela se casou, ficoua morar sozinha. A sua vida mudou muito?
– Tenho uma família muito grande na qual me refugio e vivemos todos a 200metros uns dos outros, o que é ótimo! Vivo no bairro onde nasci e sinto-mesempre em casa e nunca me sinto sozinha.
Mas é bom ter o seu espaço...
– Gosto de ter o meu espaço, a minha privacidade, já sou dona da minha casa esinto-me muito bem a fazer as lides domésticas e organizar tudo! Mas confessoque vou muitas vezes a casa da minha mãe e das minhas irmãs.
Gosta de ser dona de casa?
– Sim, sou uma freak no que toca a arrumação e limpezas. Ainda não seicozinhar muito bem, mas estou a descobrir. A minha casinha é o meu santuário,por isso tenho sempre tudo impecavelmente limpo e arrumado, mas tenho algumasajudas, claro.
É muito organizada?
– Sim, tenho uma agenda que é quase um diário – e algumas amigas minhas atébrincam com isso – onde aponto tudo no que fiz desde 2000. Com método eorganização, consigo fazer dez coisas num só dia!
Tem tempo para hobbies, portanto...
– Pratico muito desporto e esse é o meu grande hobby. É quase umaterapia. Mas faço-o para me sentir bem e saudável.
Diz que é uma freak nas arrumações e muito organizada. Isso implicaum tipo de personalidade algo obsessiva?
– Nada! Só mesmo com as arrumações. Faço escolhas diárias à tralha da minhacasa [risos]. Na minha vida sou organizada, mas também relaxada no sentido cool.
E é mais de viver o presente ou de olhar para o futuro?
– Sou um bocadinho saudosista. Gosto muito de recordar com a minha família asférias de verão, viagens que fizemos, vídeos de quando eu era pequenina... Soumuito agarrada ao passado, mas também enfrento as responsabilidades que tenhono presente. Em relação ao futuro, confesso que fico um bocadinho ansiosa porsaber que a minha profissão é algo inconstante e não posso fazer planos muitoconcretos. Mas tenho trabalho e considero-me uma privilegiada.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras