Nas Bancas

Noite de prémios e homenagens emociona plateia de ilustres

A terceira gala Prémio Autores foi conduzida por Catarina Furtado, no Centro Cultural de Belém, e distinguiu autores em várias categorias da vida artística portuguesa, entre elas, cinema, teatro, televisão, artes visuais, literatura, música, rádio e dança.

Redação CARAS
10 de março de 2012, 13:00

Pelo terceiro ano consecutivo,Catarina Furtado apresentou, com humor e elegância, a gala PrémiosAutores, uma parceria da Sociedade Portuguesa de Autores com a RTP, no CentroCultural de Belém, em Lisboa. Uma noite repleta de emoções em que foramdistinguidos os melhores nas áreas de cinema, teatro, artes visuais, dança,literatura, televisão, música e rádio. “Correu lindamente. A sala estava commuitos autores e isso é muito significativo. Houve muitos momentos bonitos eemocionantes, como a homenagem ao maestro Pedro Osório, que foi muitosentida”, afirmou a apresentadora.
Um dos momentos altos da noite foi a homenagem a Mário Soares, querecebeu o Prémio Vida e Obra Autor Nacional. Ao subir ao palco, o antigoPresidente da República declarou que o prémio em causa o “honra muito”“enormemente prestigiado”. Agradeceu também a “simpatia” dosque os escolheram, visto que não se considera um autor: “Sempre escrevi,desde jovem, publiquei muitas coisas, mas nunca me senti propriamente um autore muito menos um es­critor.” E quando questionado sobre o que o motivou aexpor sempre em livros ou artigos o seu pensamento político, respondeu: “Ospolíticos devem fazer tudo para que o mundo seja melhor, para que a sua pátriaseja melhor. Já estou quase reformado, enfim, vou escrevendo, vou dizendocoisas que às vezes as pessoas ouvem.”
Na plateia, a sua mulher, Maria Barroso, aplaudia emocionada. “Fiqueimuito orgulhosa e satisfeita. Considerei que havia uma certa justiça em relaçãoao homem político que ele foi sempre. Ele é muito querido pelas pessoas e é umhomem muito ativo. Acho justo que as pessoas gostem dele, de o ouvir e ler”,disse. Juntos há 63 anos, Maria Barroso acompanhou sempre o marido em todas asjornadas e, nesta noite especial, contou-nos o segredo para tantos anos decasamento: “Hoje em dia é uma raridade. Mas o nosso segredo é a capacidadede resistência de um e de outro e o amor, a amizade e a ternura que existeentre nós.”
António Guterres e a mulher, Catarina Vaz Pinto, vereadora daCultura da Câmara Municipal de Lisboa, foram presenças destacadas na festa. “Achoque é uma noite muito importante, porque premeia um conjunto de valores que sãoreais na sociedade portuguesa”, disse o antigo primeiro-ministro. Também FranciscoPinto Balsemão e a mulher, Mercedes, passaram pelo CCB: “Aprincipal razão que me trouxe aqui hoje foi a homenagem, muito merecida, aMário Soares. Mas esta gala tem uma razão de ser que é chamar, também, aatenção para os autores e para os seus direitos, numa altura em que estes têmsido postos em causa de várias maneiras”, afirmou o presidente do grupoImpresa.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras