Nas Bancas

Depois da tragédia no Egito, Manuel José regressa ao Porto com a mulher

A tragédia em que culminou um jogo da equipa que treina no Egito, e que resultou em 70 mortos, trouxe Manuel José de volta a Portugal com a mulher, Eugénia Taborda, mas o regresso ao Cairo está já marcado para dia 16.

Redação CARAS
10 de fevereiro de 2012, 18:02

“Este é um momento terrivelmente triste”, lamentou Manuel José à chegada ao aeroporto Francisco Sá Carneiro. Aos 65 anos, o treinador português chegou a repensar os seus planos futuros, mas acabaria por confirmar aos jornalistas que já tinha o regresso para o Egito marcado para dia 16 de fevereiro: “Nem sequer consultei a família sobre isso. A minha mulher estará comigo qualquer que seja a minha decisão. Já quando foi da revolução [revolta popular no Egito e queda do presidente Hosni Mubarak, em 2011] eu disse-lhe para ela vir para Portugal, e ela quis ficar
ao meu lado. Ficámos lá os dois.”
O treinador, de 65 anos, quer dessa forma homenagear as pessoas que morreram durante a batalha campal que se verificou após o jogo entre a sua equipa, o Al-Ahly, e o Al-Masri, no dia 1 de fevereiro, que resultou numa tragédia: mais de 70 mortos e 150 feridos. “Tenho uma relação fortíssima com o clube e com o povo egípcio, que é simpático, afetivo, tranquilo, generoso. Não é um povo agressivo. Acho que o futebol deve continuar, até como homenagem às pessoas que morreram, e muitos deles eram garotos com 15 e 16 anos. Eles têm uma paixão incrível pelo clube, e nós temos que honrar essa paixão continuando o nosso trabalho e fazendo o clube maior ainda do já era”, concluiu Manuel José.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras