Nas Bancas

Rita Mendes: "Acredito que somos viciados um no outro"

Em exclusivo para a CARAS, a DJ apresenta o filho, Afonso, de 14 meses, um grande companheiro e cúmplice da mãe.

Andreia Cardinali
24 de dezembro de 2011, 14:49

Com apenas 14 meses, Afonso é o grande responsável pela felicidade da mãe, Rita Mendes, de 35 anos, que considera a maternidade a melhor experiência da sua vida. E a DJ está realmente num bom momento, pois parece ter também encontrado a tranquilidade afetiva junto do fotógrafo Hugo Caetano, com quem namora há pouco mais de dois meses. Foi sobre esta nova fase pessoal, sobre o seu regresso à televisão, mas, em especial, sobre o filho (fruto da sua relação com Roger Branco), que Rita falou connosco.
– Apesar de o Roger ser um pai presente, tem sido difícil ser mãe solteira?
Rita Mendes –
Ser mãe tem sido um processo natural. Obviamente que tenho algumas ajudas, principalmente da minha mãe, mas também de algumas amigas. Para já tem sido assim, até porque ele é um miúdo adaptável e tem sido muito fácil, mas acho que quando ele for mais velho tornar-se-á mais difícil conciliar a educação que eu e o Roger pretendemos dar ao Afonso. Se com pais juntos pode ser complicado, com pais separados...
– O facto de a educação dele estar mais a seu cargo faz com que tenha medo de não fazer um bom trabalho?
Costumo dizer que sou uma mãe orgulhosa e não medrosa. E prefiro pensar que se fizer um excelente trabalho vai ser a minha obra prima [risos]! Mesmo nas alturas difíceis, gosto de ser positiva, pois acho que o medo nos tolda os movimentos e as decisões. A verdade é que aquilo que planeamos para os nossos filhos quando estamos grávidas não é, forçosamente, o caminho que seguimos depois, visto que temos a nosso lado um ser humano que vai criando a sua personalidade.
– E como é a sua relação com o Afonso?
Acredito que somos viciados um no outro [risos]. Acho que estamos cada vez mais a criar uma empatia muito grande. Sinto que sou uma mãe compincha. Sou muito brincalhona e faço muito o papel de mãe e pai. Gosto de estar próxima de todas as descobertas que ele está a viver, mas, apesar de ser mãe-galinha, não sou obcecada.
– Há uma Rita diferente após a maternidade?
Completamente. O Afonso é a minha prioridade a nível profissional, pessoal e até emocional. Tudo é feito em função do bem-estar dele. Claro que não pretendo anular-me como mulher e profissional, mas agora há alguém que está em primeiro lugar. Depois, acho que atingi uma maior maturidade, pois vejo o mundo de uma maneira diferente. Sou mais cuidadosa. Um filho é uma responsabilidade para a vida.
– A nível sentimental, está numa nova fase...
Sim, estou bem, apaixonada e feliz. Sempre fui muito transparente, especialmente nas coisas positivas. Gosto de gritar ao mundo que estou bem. Não é nada pensado, mas sou assim. Se neste momento estou numa boa fase e feliz, não vejo por que esconder.
– Preocupa-a que as pessoas não entendam essa transparência e comentem que começou uma relação pouco depois de ter terminado outra?
Não gosto, mas lá está, faz parte desta minha atitude, que considero corajosa. Só tenho que passar à frente disso e pensar que não quero viver a minha vida pautada pelo que os outros pensam. Quem me dera aos 20 anos ter encontrado o homem da minha vida e ficado com ele, mas a verdade é que na maioria das vezes as coisas não se coadunam nesse sentido.
– A verdade é que foi surpreendida com este amor...
Sim, não planeava voltar a apaixonar-me. Isto pode parecer um pouco piroso, mas existem pessoas do amor, que gostam de viver apaixonadas, e eu acho que sou uma delas. Acho que quando deixar de acreditar nas coisas boas da vida deixo de ser eu... E fico muito feliz por as pessoas e a vida ainda me surpreenderem.
– E como é a relação do Hugo com o Afonso?
Às vezes até tenho ciúmes! Acho que o Afonso precisa muito de uma referência masculina e, apesar de o pai estar muito presente, diariamente, é comigo que ele está. Apesar de, como já referi, ser muito brincalhona com ele, sou-o à menina. E com o Hugo, que tem imenso jeito para crianças, tem as brincadeiras de rapaz. Acredito que esta é a altura certa para o Hugo entrar na nossa vida, pois ainda não tenho de dar explicações ao Afonso. Para ele, o namorado da mãe é mais um amigo e, se Deus quiser, as coisas evoluirão de forma natural até que ele perceba que é uma pessoa importante para ambos. De momento, estamos todos em fase de workshop [risos].
– Tem ainda uma vida profissional muito preenchida, com o projeto Fancy Clubers, que incluiu o seu trabalho enquanto DJ. Como se concilia a vida noturna com a maternidade?
Habitualmente trabalho aos fins de semana, altura em que o Afonso está com o pai ou com a minha mãe. E quando trabalho em Lisboa ele nem se apercebe de que estivemos separados, pois assim que acorda já estamos juntos e não saio sem que ele adormeça. Depois, estipulámos que um dia por semana ele não vai à escola, para ficar comigo.
– E vai regressar à televisão em meados de fevereiro...
É verdade. Além de apresentar, estou a fazer a produção toda de um programa ligado à música e ao lifestyle para um canal por cabo. Neste momento, estou em processo criativo, pois tudo vai passar por mim. Fui eu que propus o programa e estou bastante entusiasmada com esta nova fase que se aproxima.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras