Nas Bancas

Familiares e amigos reúnem-se para recordar José Saramago

O Prémio Nobel da Literatura foi homenageado no dia em que completaria 89 anos.

Redação CARAS
30 de novembro de 2011, 17:15

José Saramago morreu a 18 de junho de 2010. Contudo, e como partilhou Nuno Artur Silva durante a apresentação do livro Claraboia – escrito pelo Prémio Nobel da Literatura nos anos 50, e só agora publicado –, “o José já não está cá, mas Saramago continua vivo.” E foi para recordar o homem e perpetuar a genialidade do escritor que familiares, amigos e muitos admiradores se reuniram no Jardim de Inverno do S. Luiz Teatro Municipal, no dia em que o autor completaria 89 anos de vida.
Enquanto decorria a apresentação da obra e se falava do legado que o Nobel deixou à literatura, eram simultaneamente projetadas várias fotografias de Saramago, acompanhado pela filha, Violante, na década de 50. Emocionada, a bióloga subiu ao palco e recordou o pai. “Não sei falar do escritor, mas sei falar do homem, que foi das pessoas mais íntegras que conheci. Foi a pessoa que me deu lições e me formou de uma maneira suave, sem nunca me ter dado uma palmada. A minha relação afetiva com o meu pai passou por vários altos e baixos, mas nos últimos largos anos foi de muita solidez. Só posso dizer que valeu a pena ter aquele pai.”
Neste dia, horas antes desta apresentação, Pilar del Rio recebeu pelas mãos de António Costa, presidente da Câmara Municipal de Lisboa, a chave da Casa dos Bicos, sede da Fundação José Saramago, cuja inauguração deverá acontecer na primavera. “José Saramago continua connosco, porque será sempre muito amado”, partilhou a viúva do escritor.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras