Nas Bancas

Porto Santo acolhe festa da CARAS que é já uma tradição

A noite começou com um jantar restrito num dos restaurantes mais procurados da ilha. A festa que se seguiu teve ambientes musicais distintos nos dois pisos do edifício e contou ainda com a participação do grupo de cordas The Crow.

29 de setembro de 2011, 18:59

À semelhança do que aconteceu no ano passado, nos dias que antecederam a festa da CARAS não se falava de outra coisa na ilha de Porto Santo e as expectativas concretizaram-se: os convidados compareceram em massa e no fim fizeram um balanço muito positivo deste convívio.
O dia começou com um torneio de golfe no Porto Santo Golfe e terminou com um jantar requintado num dos restaurantes mais famosos da ilha, o Pé na Água. As mesas, decoradas com as cores da CARAS, receberam algumas das iguarias típicas da região, nomeadamente as lapas grelhadas e o bolo do caco, que fizeram as delícias dos cerca de 40 convidados. Após o jantar, todos se dirigiram ao Club House do Porto Santo Golfe, para se juntarem às centenas de pessoas que ali se reuniram para uma noite especialmente animada.
A festa começou com a entrega de prémios do torneio de golfe, que este ano contou com a participação de dezenas de jogadores. Paulo Silva foi o grande vencedor: "Já tinha participado no ano passado e este ano ganhei o gross. Apesar de jogar a nível amador, treino todos os dias. Este campo é fabuloso e durante o jogo divertimo-nos sempre muito, pois há um grande espírito de camaradagem, já que o campo é que é o adversário."
A visitarem a ilha pela primeira vez, Raquel Rocheta e a filha, Mariana Cruz, viajaram propositadamente de Lisboa para a festa da CARAS. "Foi um convite muito simpático. Estamos a passar uns dias maravilhosos e divertimo-nos imenso tanto nesta festa como no jantar. Da próxima vez talvez já possa participar também no torneio de golfe [risos]", referiu Raquel, animada.
Habituados a passar férias na ilha de Porto Santo há mais de dez anos, Duarte Cancella de Abreu e a mulher, Cristina, não quiseram perder a oportunidade de participar nesta noite de verão, como já tinham feito o ano passado. "Sou viciado nesta ilha, é o sítio ideal para passar férias: tem uma água transparente, pouca gente e uma areia fabulosa. É sempre muito simpático as nossas férias coincidirem com a festa da CARAS e ficamos muito satisfeitos por poder passar uma noite diferente", explicou o empresário.
Por ser madeirense e apaixonado pela sua terra, João Cunha e Silva prefere passar as suas férias em Porto Santo, que mais uma vez coincidiram com esta festa. "Depois do sucesso da festa do ano passado, creio que a deste ano foi ainda melhor. Os convites desapareceram rapidamente e isso é muito bom sinal. Estamos a apreciar muito esta partilha de esforços entre a CARAS e Porto Santo", explicou o vice-presidente do Governo Regional da Madeira.
Também Nuno Teixeira é madeirense de 'gema' e, à semelhança de João Cunha e Silva, também as suas férias são passadas na ilha, por isso, também o eurodeputado é já um repetente nesta noite, juntamente com a sua mulher, Cristina Aragão: "Viemos no ano passado e gostámos muito. Esta festa foi tão boa ou melhor do que a anterior e divertimo-nos muito. De ano para ano Porto Santo é cada vez mais um destino procurado pelos portugueses, sobretudo os do continente, e é um paraíso por descobrir. Com a ajuda da CARAS tornar-se-á ainda mais reconhecido."
Uma opinião partilhada por Francisco Taboada, presidente da Sociedade de Desenvolvimento de Porto Santo, que, já no início da noite, previa o enorme sucesso desta festa: "Depois do sucesso do ano passado, estamos a repeti-lo este ano. Para nós é um privilégio receber a CARAS, pelo que a revista representa na sociedade e pelo glamour que trouxe a esta festa."
Também Fernanda Dias, diretora da CARAS, estava bastante satisfeita com este evento: "Este é o segundo ano que fazemos esta festa em Porto Santo, e é também uma forma de ajudarmos a divulgar uma das melhores praias do mundo, assim como uma paisagem fantástica. Além disso, é uma maneira de, através do nosso contributo, descentralizar e mostrar novas caras."
No final da noite, Pedro Barbosa, um dos organizadores do evento, fazia um balanço muito positivo da iniciativa: "Quando as entidades implicadas desejam todas a mesma coisa, torna-se muito fácil organizar uma coisa destas. Foi trabalhoso, pensei que não era fácil fazer melhor do que no ano passado, mas superámo-nos."

Palavras-chave

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras