Nas Bancas

Raquel Rocheta: "Agora, já me sinto preparada para ter uma nova relação"

Ao lado da filha, Mariana, a modelo e relações-públicas passou uma tarde única no Zoomarine. Divorciada de Carlos Cruz, Raquel contou como está a viver esta nova fase.

Redação CARAS
15 de agosto de 2011, 10:53

Desde que se divorciou de Carlos Cruz, com quem esteve casada durante dez anos e de quem tem uma filha, Mariana, de nove, Raquel Rocheta sente que está a "recuperar anos de vida". Agora, a prioridade é viver para a filha e para si, dando espaço e tempo à mulher que deseja ser e aos projetos que estão para vir. Otimista, a modelo e relações-públicas admite que está disponível para encontrar um novo amor, não excluindo a hipótese de que este seja, no futuro, Fernando Santos, o ex-jornalista e empresário que tem sido apontado como seu namorado.

Foi durante uma tarde passada entre os golfinhos do Zoomarine, no Algarve, que a modelo abriu o coração e partilhou com a CARAS os sentimentos que pautam este momento da sua vida.

- É verdade que namora com Fernando Santos?
Raquel Rocheta -
Isso não é verdade. O Fernando é um amigo de longa data, conheço-o desde os 16 anos. É uma pessoa por quem tenho um carinho muito grande, até porque passou por uma situação muito complicada [a mulher, Alexandra Neno, morreu depois de ter sido atingida com dois tiros, em 2008]. Gosto muito de estar com ele, mas não é meu namorado, é meu amigo. Ele foi um namorico aos 22 anos, uma coisa de dois meses, e isso aproximou-nos.

- Isso quer dizer que o Fernando Santos pode tornar-se, nos próximos tempos, mais do que um grande amigo?
-
Isso não sei. Temos que olhar para a frente e não posso dizer que seja impossível isso acontecer.

- Mas poderá o Fernando suscitar em si essa vontade de o ter como namorado?
-
Poderá... Mas não há nada neste momento.

- Sente-se preparada para ter um novo relacionamento?
-
Há um ano e tal que sentia que eu e o Carlos já não nos relacionávamos como marido e mulher. Agora, já me sinto preparada para ter uma nova relação. Sinto-me livre e pronta para seguir em frente.

- Seria mais feliz?
-
Sim. Depois de todos estes anos de problemas e de alguma tristeza, sinto que também preciso de me sentir mais completa.

- Acredito que estas férias, as primeiras desde que está divorciada, estejam a ser muito diferentes das anteriores...
-
Sim... Divido a Mariana com o Carlos, ela passou 15 dias comigo e agora vai para o pai. Mas estão a ser umas férias muito boas. Estou bem, sinto-me equilibrada, a recuperar anos de vida. Sinto-me bem comigo própria e isso é o mais importante.

- Raquel, o que responde àquelas pessoas que podem pensar que ao divorciar-se está a 'abandonar o barco'?
-
Estava a deixar a minha vida e a mim própria para trás, porque o Carlos estava em primeiro lugar. As pessoas compreendem que preciso de ter uma vida e que tenho de ser feliz. Não consigo estar a fazer as coisas por obrigação nem deixar a minha vida de parte. Fiz isso por algum tempo, mas cheguei ao meu limite. Agora, quero continuar a investir naquilo que deixei parado durante oito anos, como a minha carreira, os trabalhos de moda... E mantenho-me ao lado do Carlos, como amiga. Continuo a defendê-lo como sempre. Por isso, não abandonei o barco.

- Sente que agora é uma mãe diferente?
-
É uma grande novidade estar divorciada e ter uma filha que neste momento gosta tanto de estar com o pai como com a mãe. Antes, tinha a Mariana o tempo todo comigo e agora não. Ela adora o pai, gosta muito de ir para casa dele. Como não sou egoísta, é ela própria que decide quando quer estar com o Carlos. É claro que às vezes custa um bocadinho quando tenho programas pensados para nós e ela muda os planos, porque quer ir ter com o pai.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras