Nas Bancas

Sara Salgado: "Quero muito ser atriz, mas continuo a estudar"

Depois de ter vivido seis meses no Brasil, onde fez um curso de representação, a atriz e estudante de Publicidade e Marketing, de 21 anos, acredita estar mais madura e consistente na sua atividade profissional.

Joana Carreira
9 de julho de 2011, 10:24
Sara Salgado
tem apenas 21 anos mas conta já com várias participações em novelas. Tornou-se conhecida depois de vencer um concurso de uma marca de produtos para o cabelo, de onde passou para o elenco de
Morangos com Açúcar
. Desde então, tem conseguido cumprir o sonho de ser atriz, mas nem por isso deixa de procurar alternativas a uma carreira com altos e baixo. De amor não fala muito, mas assume que sonha construir família, sublinhando que é uma ambição a longo prazo.


- Existe algum preconceito em relação aos atores que começaram nos Morangos, já que há a ideia de que são mais escolhidos pela aparência do que pelo talento. Já sentiu isso?

Sara Salgado -
Não, de todo. Foram a minha grande escola. Foi uma experiência fantástica, não tenho vergonha nenhuma de ter começado nos
Morangos
, de onde já saíram grandes atores, hoje bastante conceituados. E muita gente só se deve lembrar de mim daí, um trabalho que fiz aos 16 anos, mas a verdade é que comecei aos 11, na novela
Olhar da Serpente
. Foi apenas uma participação, mas foi a minha estreia. Depois parei, estudei, estive na Escola de Dança do Conservatório Nacional durante cinco anos e enveredei pelo mundo da moda.


Sara Salgado
Sara Salgado
João Lima
- Decidiu ser atriz aos 16 anos, numa altura em que a vida de um jovem se começa a definir. Sentiu que poderia estar a perder a oportunidade de seguir um curso superior ou uma carreira menos arriscada?

- Nesse ano tive de parar porque gravava doze horas por dia e era impossível seguir com os estudos. Mas felizmente os meus pais sempre me incentivaram a não deixar de estudar e a ter uma alternativa. Quero muito ser atriz, mas continuo a estudar. Estou no curso superior de Publicidade e Marketing e quero terminá-lo. Sempre consegui conciliar tudo, felizmente. Nunca me deixei deslumbrar pela carreira de atriz.


- Os seus pais ficaram apreensivos quando decidiu ser atriz?

- Toda a minha família ficou apreensiva, na verdade, até eu fiquei. Nunca tinha estado em contacto com essa coisa chamada fama. Mas todos me apoiam, sobretudo os meus avós, que adoram.


- Depois de fazer os Morangos, começou por certo a ser reconhecida na rua. Sentiu essa diferença?

- Senti na altura, porque era um público muito jovem e as crianças reconhecem-nos muito mais. Assustava-me um bocadinho sempre que ia a um centro comercial. Mas era também muito gratificante e felizmente nunca tive nenhum problema. Agora as coisas são um pouco diferentes. Hoje sinto que me reconhecem na rua, mas já não vêm tanto ter comigo.


Sara Salgado
Sara Salgado
João Lima
- Com a chamada fama vem também o assédio da imprensa...

- Nunca o senti muito, porque nunca abri muito o jogo em relação à minha vida privada. Tento resguardar-me. Já me inventaram alguns namorados, mas nunca foram verdadeiros. O Zé Manel dos Fingertips, por exemplo, foi um desses casos, porque somos muito amigos. Acabámos por nos rir disso e pronto. E também já tive namorados entretanto que nunca se soube.


- Imagine que tem namorado e de repente surge na imprensa a notícia de que anda com outra pessoa. É fácil gerir isso?

- Felizmente nunca me aconteceu. Quando saíram essas notícias não estava com ninguém. Mas as pessoas com quem estive percebiam bem o meu trabalho, acreditavam em mim e respeitavam.


- Até porque muitas vezes tinha também que lidar com cenas mais arrojadas nas novelas...

- Sim. Poderia provocar ciúmes, mas sempre expliquei tudo muito bem. Se a pessoa realmente gosta de nós e percebe o nosso trabalho, isso não é um problema. Comigo nunca o foi.


- E agora, tem namorado?

- [risos] É uma informação que prefiro não partilhar.


- Tem o sonho de se casar e ter filhos?

- Qualquer mulher o tem. Claro que quero casar-me e ter filhos, mas não penso nisso para já. Acho que toda a gente pensa um dia construir família. A solidão, ainda por cima, é algo com que não lido muito bem.


- Como assim?

- Há momentos em que gosto de estar sozinha, sou filha única, e estou de alguma forma habituada a isso. Por outro lado, gosto de estar sempre com alguém, vivo com a minha mãe, tenho muitos primos, amigos...


Sara Salgado
Sara Salgado
João Lima
- Quem são aquelas pessoas que tem como base de apoio na sua vida?

- A minha mãe, sobretudo, a minha avó e duas ou três amigas.


- Sendo tão ligada à família, não deve ter sido fácil ir de repente seis meses para o Brasil, onde fez um curso de representação...

- Não foi nada fácil, nem para mim nem para a minha mãe. No início foi muito complicado. Foi a primeira vez que saí de Portugal, para viver num país como o Brasil, em que a segurança não é a melhor. Custou muito, mas aprendi bastante. Acabou por ser uma experiência fantástica.


- Muita gente vem do Brasil apaixonada... aconteceu-lhe?

- Apaixonei-me, sim... Bom, quer dizer, apaixonei-me pelo Rio de Janeiro [risos]. Tive oportunidade de ir à Globo e foi fantástico.


- Seria capaz de trocar Portugal pelo Brasil?

- Sim, sem dúvida. Adorava poder mostrar o meu trabalho como atriz no Brasil.


Sara Salgado
Sara Salgado
João Lima
- Tem algum sonho que queira concretizar mais rapidamente?

- Além de ter trabalho, e ter sempre as pessoas mais importantes da minha vida a apoiar-me, o que mais gostava era de ter tempo para viajar muito. Aprende-se imenso e na maior parte das vezes dá-se mais valor ao que temos aqui em Portugal.


- Acredita que cresceu mais depressa desde que entrou neste mundo?

- Por um lado tive uma perspetiva mais adulta em relação a certas coisas, por trabalhar com pessoas mais velhas e ter feito amigos mais velhos. Aprendi bastante, mas por vezes sou ainda muito infantil. Talvez possa dizer que tenho um ponto de vista mais maduro do que é comum na minha idade por ter começado a trabalhar mais cedo.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras