Nas Bancas

users_0_14_angelico-vieira-59ba-f20a.jpg

Foto cedida por Correio da Manhã

Novas pistas sobre as causas do acidente de Angélico Vieira

O despiste do BMW 635 terá alegadamente sido causado por excesso de velocidade, de acordo com os dados avançados por um jornal diário.

Andreia Guerreiro
1 de julho de 2011, 19:01

As autoridades continuam a apurar as circunstâncias do acidente que ocorreu na madrugada do último sábado, 25 de junho, ao quilómetro 259 da A1, na zona de Estarreja, e que deixou em estado grave Angélico Vieira, que acabou por morrer esta terça-feira, no Hospital de Santo António, no Porto. Além do cantor, o acidente fez outra vítima mortal, Hélio Danilson Filipe, atropelado momentos depois do despiste, e deixou em estado grave Armanda Monteiro Leite, de 17 anos, que continua internada na Unidade de Cuidados Intensivos do referido hospital.

De acordo com o Correio da Manhã, os resultados preliminares da investigação da GNR revelam que o excesso de velocidade está na origem do despiste do BMW 635 e que, contrariamente às notícias que circularam logo nesse mesmo dia, não saltou nenhuma roda nem houve rebentamento de um pneu. O jornal avança que as autoridades chegaram a estas conclusões através da observação das marcas de pneu deixadas no solo. Falta agora apurar a que velocidade viajava o carro conduzido por Angélico Vieira e realizar as análises que permitirão verificar se o cantor e ator conduzia sob efeito de álcool ou drogas.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras