Nas Bancas

Mikkel Solnado conta a sua história de amor

Filho de Raul Solnado troca Dinamarca por Portugal e compõe álbum dedicado à namorada.

Joana Carreira
7 de maio de 2011, 10:24

Não é o 'filho secreto', como chegou a ser publicado na imprensa na altura da morte de Raul Solnado, em agosto de 2009. Mikkel Solnado é uma pessoa reservada, que gosta da sua privacidade, e que viveu os últimos 16 anos na Dinamarca, país onde nasceu. A sua mãe, Anne-Louise Schmidt, foi a intérprete dinamarquesa que chamou a atenção de Raul Solnado na plateia do Teatro Villaret, a quem acabaria por enviar um ramo de flores depois de descobrir, com a ajuda da embaixada, a sua morada.
Mikkel, filho único dessa relação, nasceu em outubro de 1975. "Como foi logo a seguir ao 25 de abril, eles decidiram que era melhor a minha mãe ter o filho na Dinamarca. Ela foi para lá grávida e regressámos a Portugal quando eu fiz três meses", conta Mikkel, que ficou no nosso país até completar o liceu, apesar de os pais já estarem separados desde os seus três anos. Aos 19 anos decide, então, ir viver para a Dinamarca com a mãe, onde permaneceu até reencontrar, através do Facebook, Helena Tomás - uma amiga que conheceu durante as férias e fins de semana que passava na casa que o pai tinha na Costa de Caparica -, por quem se apaixonou no último verão. Em outubro, Mikkel voltou a fazer as malas, desta vez para regressar a Portugal, onde tenciona dar continuidade à carreira musical que iniciou no seu país natal. Depois do sucesso do tema We Can Do Anything, o músico acaba de lançar o seu primeiro álbum, It Away, cujas músicas escreveu a pensar na namorada, e que pode ser descarregado gratuitamente na sua página de Facebook, Mikkel Solnado Music.

Mikkel Solnado e Helena Tomás
Mikkel Solnado e Helena Tomás
Mike Sergeant
- Na última edição dos Globos de Ouro foi prestada uma homenagem a Raul Solnado, na qual cantou um dos seus temas. Deve ter sido um momento muito especial para si...?

Mikkel Solnado -
Foi muito especial. Adorei fazer aquela homenagem ao meu pai. Foi, aliás, a única em que participei, porque prefiro lembrar-me dele enquanto meu pai e não como figura pública.


- O seu pai não chegou a testemunhar este seu início de carreira em Portugal. Acha que ele se sentiria orgulhoso?

- Claro que se sentiria orgulhoso, e acho que me iria ajudar e aconselhar. Ele dava sempre muitos conselhos.


- Como é que o recorda?

- Recordo-o a sorrir, a contar piadas. Era uma pessoa divertidíssima. Lembro-me dos churrascos que fazia na casa da Caparica, de ir com ele para os bastidores do teatro... Cheguei a participar com ele na série
Lá em Casa Tudo Bem
, mas como figurante, porque eu era muito envergonhado. Mas é disso que me lembro: era uma pessoa feliz, contente, adorava as pessoas, sair à noite, ir ter com os amigos.


Mikkel Solnado e Helena Tomás
Mikkel Solnado e Helena Tomás
Mike Sergeant
- O início da história dos seus pais é muito bonito. O Mikkel, tal como o pai, também se deixou conquistar pela beleza da Helena?

- Não enviei flores, mas enviei uma mensagem através do Facebook. Mentira... também lhe enviei umas flores da Dinamarca! É verdade, já nem me lembrava desse pormenor. Que coincidência...


- Decidiram logo passar a viver juntos. Foi uma decisão pensada, ponderada?

- Depois de refletirmos sobre o assunto, chegámos à conclusão de que nos iríamos arrepender se não tentássemos. A Helena é uma pessoa fantástica e apareceu numa fase da minha vida em que achava que não ia encontrar o amor da minha vida.


- Porquê?

- Porque tive uma série de relações na Dinamarca que não funcionaram...


- Então o problema era com as dinamarquesas!

- Era isso. As dinamarquesas são lindas, mas demasiado liberais. Depois encontrei a Helena que, embora seja liberal, é-o de uma forma mais portuguesa, digamos assim. É uma pessoa lindíssima, que me respeita, a mim e ao meu espaço, que se preocupa comigo e me apoia. É com ela que me imagino a viver o resto da vida.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras