Nas Bancas

Eunice Muñoz: "Sempre fui uma mulher muito apaixonada"

A atriz partilhou com a CARAS as histórias e as emoções que viveu, e vive, no palco da sua vida. 

Joana Carreira
26 de março de 2011, 16:32

Com 82 anos e a comemorar 70 de carreira, Eunice Muñoz dispensa apresentações. Atriz desde criança, sempre soube que ia fazer do teatro o palco da sua vida. A paixão pela arte e a energia que tem não a deixam abrandar o ritmo e atualmente é a protagonista de O Comboio da Madrugada, em cena no Teatro Mirita Casimiro, no Estoril. Foi a propósito desta peça, na qual a sua neta Lídia se estreou, que a CARAS esteve à conversa com aquela que é considerada, tanto pelos seus pares como pelo público, a grande dama do teatro português.

- Para quem já tem tantas peças no currículo, o que é que O Comboio da Madrugada acrescenta à sua carreira?
Eunice Muñoz - Acrescenta um papel muito interessante, uma mulher milionária, meio tresloucada, doente, que se apaixona por um jovem. A minha neta também entra nesta peça, o que é muito enternecedor. Durante os seus 20 anos, ela esteve sempre comigo e penso que olhou para mim como alguém que queria seguir. É uma pessoa interessada, estudiosa, que quer saber cada vez mais.

Eunice Muñoz
Eunice Muñoz
Mário Galiano
- Nesta peça, a sua personagem é visitada por esse jovem nos últimos tempos da sua vida. A Eunice tem medo da morte?

- Não penso na morte, nem me assusta, porque sou uma pessoa de fé. Sei que quando Deus quiser lá estarei e será o fim dos meus dias. A minha natureza não tem inclinação para o negativismo. Sou uma pessoa positiva.


- A Eunice conciliou sempre os papéis de mulher, mãe e atriz. Sendo uma profissional tão empenhada, nenhum dos outros papéis ficou para trás?

- Não, porque tive muita sorte. O meu segundo marido [de quem teve quatro filhos] era um homem excelente com uma grande sensibilidade e gostava muito de todas as manifestações de arte. Ele tinha muita admiração por mim e sacrificou-se muitas vezes para que eu pudesse representar.


Eunice Muñoz
Eunice Muñoz
Mário Galiano
- Conseguiu ser uma mãe presente?

- Sempre que podia... Mas fui muitas vezes uma mãe ausente. Os meus filhos foram muito generosos, porque vejo-os menos do que aquilo que queria e devia, sobretudo quando estou a preparar um papel como este, que é muito exigente.


- Nesta altura da sua vida é importante para si estar sempre rodeada de pessoas?

- Depende. Eu vivo sozinha e isso não me aflige nada. Trabalho em casa, tenho uma empregada que vai lá quatro horas por semana, o resto faço eu, a lida da casa, cozinhar - que, aliás, gosto muito. Leio, escrevo, tenho sempre em atraso muita correspondência. E gosto muito de estar sozinha, gosto da pessoa que sou.


Eunice Muñoz
Eunice Muñoz
Mário Galiano
- Casou-se três vezes. O amor e a paixão sempre tiveram muita importância na sua vida?

- Sim, muita. Na vida, sempre fui uma mulher muito apaixonada e isso deu-me coisas boas, coisas negativas... Não me considero de modo nenhum infeliz, vivi muito bem as minhas emoções.


- Apesar de já ter tido alguns problemas de saúde, a Eunice conseguiu chegar aos 82 anos cheia de vitalidade. Qual é o segredo para se envelhecer tão bem?

- Não sei... Ora bem, em primeiro lugar não podemos prestar muita atenção a nós próprios. Temos de nos libertar da dor que sentimos aqui, acolá... É verdade, elas estão lá, mas não me vou estar a massacrar com isso. E não tenho a idade sempre na minha cabeça nem me sinto com 82 anos. Tenho muita energia, graças a Deus. Já fiz duas operações, tenho uma angina de peito, tenho coisas graves, mas não vou estar sempre preocupada com isso. E cuido-me, tenho atenção... Tenho coisas bem mais interessantes em que pensar.


Eunice Muñoz
Eunice Muñoz
Mário Galiano
- É considerada a dama do teatro português. Gosta de ser encarada dessa forma?

- Não é desagradável e fico grata, mas nunca me considero uma dama do teatro nem quero que isso tome conta de mim. Sou uma atriz, uma profissional que deve tentar sempre, sempre e sempre melhorar o seu trabalho. Isso vai acontecer até à última peça que faça.


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras