Nas Bancas

Treze anos depois do desaparecimento de Rui Pedro, há um suspeito de rapto

Afonso Dias, terá sido a última pessoa a ver Rui Pedro, desaparecido a 4 de março de 1998. Um mês depois, a família acredita tê-lo reconhecido numa fotografia publicada na CARAS, na reportagem de uma viagem à Eurodisney da família de Nuno Rogeiro. Treze anos depois, os pais de Rui Pedro, Manuel e Filomena, continuam a divulgar a sua foto pelo mundo.

Joana Carreira
11 de março de 2011, 09:28

A vida de Filomena e Manuel Mendonça nunca mais foi a mesma depois de 4 de março de 1998, o dia em que o seu filho, Rui Pedro, então com 11 anos, desapareceu de Lousada sem deixar rasto. Destroçada, a família nunca desistiu de o encontrar, nem deixou que o seu rosto ou história caíssem no esquecimento.

Filomena Mendonça, mãe de Rui Pedro
Filomena Mendonça, mãe de Rui Pedro
Luís Coelho
Agora, com a acusação de crime de rapto, tornada pública a 26 de fevereiro, do principal suspeito do desaparecimento de Rui Pedro,
Afonso Dias
,
"há uma nova esperança"
, como disse à CARAS Manuel Mendonça. "
Sentimos que é mais qualquer coisa a mexer. Mas só podemos esperar para ver o que acontece. O nosso advogado está confiante de que vai haver julgamento e que a pessoa vai ser condenada
", afirmou o pai de Rui Pedro, adiantando que a mulher não se encontra bem de saúde: "
Ela não tem passado bem estes dias. Está mal, a tentar aguentar mais isto.
"


Rui Pedro, aos 11 anos
Rui Pedro, aos 11 anos
D.R.
Recorde-se que Afonso Dias foi apontado por várias testemunhas como a última pessoa a estar com Rui Pedro no dia do seu desaparecimento, e que, desde essa altura, Filomena e Manuel Mendonça pedem respostas. O suspeito, agora com 34 anos e camionista de profissão, chegou a ser ouvido e constituído arguido em novembro de 1999, mas só agora foi acusado, na sequência das investigações feitas por uma nova equipa da Polícia Judiciária.


Afonso Dias terá sido a última pessoa a ver Rui Pedro
Afonso Dias terá sido a última pessoa a ver Rui Pedro
D.R.
Sobre os treze anos de dúvidas, o pai de Rui Pedro é peremptório: "
Porque demorou tanto tempo? É uma pergunta que tem de se fazer aos nossos políticos, são eles os maiores responsáveis por estes atrasos todos. Aliás, todos os políticos que tivemos após o 25 de abril.
"


Um mês depois do seu desaparecimento, a 4 de março de 1998, a família acredita tê-lo reconhecido numa fotografia publicada na CARAS, na reportagem de uma viagem à Eurodisney da família de Nuno Rogeiro
Um mês depois do seu desaparecimento, a 4 de março de 1998, a família acredita tê-lo reconhecido numa fotografia publicada na CARAS, na reportagem de uma viagem à Eurodisney da família de Nuno Rogeiro
CARAS
Mas a família nunca baixou os braços e usou todos os meios ao seu dispor para encontrar esperança. "
Não podemos desistir. Uma pessoa que nunca teve nada não pode querer ter. Agora quem tem e a perde tem que lutar para reaver o seu bem
", frisou o pai, lembrando: "
Continuamos sem saber do nosso filho!
"


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras