Nas Bancas

Teresa Tavares: "Não sou muito sociável e só me entrego a quem confio"

Aos 28 anos, a atriz prefere viver o presente a fazer planos e parece muito segura dos passos que dá.

Joana Carreira
3 de março de 2011, 10:22

Em criança, Teresa Tavares sonhou ter profissões tão heterogéneas como bailarina, telefonista, médica e caixa de supermercado. Foi na adolescência que sentiu o apelo da sua verdadeira vocação: a representação. Aos 17 anos saiu do Ribatejo, onde vivia, e mudou-se para Lisboa, já estava então a trabalhar no seu primeiro projeto televisivo, a novela Jardins Proibidos. Desde então nunca mais parou: passou pelo teatro, pelo cinema e até experimentou a apresentação, no programa Curto Circuito, da SIC Radical. Neste momento integra o elenco da novela Laços de Sangue, da SIC, e nesta conversa falou sobre a sua carreira e a relação de quatro anos com o editor de imagem Filipe Cary.

Teresa Tavares
Teresa Tavares
João Lima
- Não é habitual falar sobre a sua vida privada, mas sei que tem uma relação há quatro anos...

Teresa Tavares -
Pois, gosto de preservar esse meu lado, mas como fomos juntos a uma viagem, acabou por se falar um pouco da nossa relação. Não falar sobre a minha vida sentimental é uma opção, pois acredito que as pessoas têm é de ver o meu trabalho. Sou uma atriz e acredito que quanto mais o meu trabalho falar por mim, mais as pessoas o podem seguir. Mas foi uma história muito simples, conhecemo-nos ocasionalmente na rua, pois morávamos perto um do outro, fomos beber um café e acabámos por nos apaixonar.


- As reservas que tem em relação à sua vida pessoal sempre existiram ou são resultado da sua profissão?

-
Sou ciosa da minha privacidade por natureza, embora não tenha qualquer problema em assumir uma relação.


- Trabalharem na mesma área é a uma facilidade?

-
Julgo que sim, sobretudo a nível de ritmos. Acredito que seja mais complicado conjugar tudo com naturalidade se tivermos uma profissão com muito mais regras.


Teresa Tavares
Teresa Tavares
João Lima
- O casamento está nos seus planos?

-
Honestamente, nunca foi uma daquelas coisas com que tivesse sonhado. Como uma grande amiga minha diz,
"os atores nunca sonham com essas coisas, pois já se casam nos filmes"
[risos]. Se calhar isso é verdade... Se as coisas se proporcionarem, claro que acontecerá. Tento viver o dia-a-dia, ter atenção aos caminhos que me podem surgir e ouvir os sinais. Deixo fluir...


- E ser mãe?

-
É um bocado como penso em tudo o resto: quando acontecer. Claro que quero ser mãe e isso irá acontecer, pois acredito que quando chegar a altura há de ser de tal maneira evidente, que tudo se irá arranjar.


- Já passou pelas diversas áreas da representação, e até pela apresentação. Qual é a sua verdadeira paixão?

-
É ser atriz, em qualquer das vertentes. Há diferentes técnica para cada meio, mas a génese é a mesma. É a descoberta constante que me apaixona. A apresentação foi uma coincidência, algo em que acredito, mas nem sequer sei se hoje em dia apresentaria um programa. Já tinha feito algum trabalho como atriz, mas pouco, e como estava no curso de Ciências da Comunicação, acabei por ir fazer o
casting
e fiquei. Disse logo no começo que era atriz e que só ficaria no programa se pudesse continuar a sê-lo ao mesmo tempo.


Teresa Tavares
Teresa Tavares
João Lima
- Não terminou o curso...

-
Pois, quando o comecei a tirar já trabalhava como atriz e sabia que era aquilo que queria, mas como estava ainda no meu primeiro trabalho de televisão e sabia que era impossível conciliá-lo com o Conservatório, resolvi candidatar-me a outro curso. Acabei por fazer só um ano e tal e uns três ou quatro anos depois ingressei no Conservatório.


- A precariedade da profissão de atriz preocupa-a?

-
Na situação que vivemos hoje em dia, qualquer profissão é preocupante e também não sou uma pessoa receosa. Tenho medo de algumas situações, mas como sei que este é o meu caminho, nada de demove. Não é de todo isso que me faz questionar se sou ou não atriz... Sinto que, se estou aqui, é por algum motivo e continuo o meu percurso.


Teresa Tavares
Teresa Tavares
João Lima
- Esteve algum tempo afastada da televisão e mais ligada ao cinema e ao teatro...

-
Sim, enquanto estive no Conservatório era mais complicado. Mas no ano passado, que foi maravilhoso a nível profissional, consegui conciliar teatro, cinema e televisão. Ao longo dos anos tenho conseguido esta diversidade de propostas e é muito bom, são experiências enriquecedoras.


- E a nível pessoal, já começa a fazer outro género de planos ou ainda está demasiado focada na sua realização profissional?

-
Ser atriz foi a forma de vida que escolhi e todos os ritmos e necessidades que tenho têm que ver com a minha profissão. Para ser honesta, toda a minha vida acaba por andar à volta das necessidades que a minha profissão me traz. Mas claro que é muito importante termos os nossos afetos seguros e próximas as pessoas com quem podemos contar. Não há primeiros lugares, no fundo, é uma troca constante. A minha família também me educou para pensar assim...


Teresa Tavares
Teresa Tavares
João Lima
- É uma mulher afetuosa?

-
Julgo que sim [risos]. Não sou muito sociável e só me entrego a quem confio.


- Parece segura e madura. Sempre foi assim?

-
Julgo que não. Acho que foi algo que foi crescendo, e também contribuiu o facto de ter vindo para Lisboa sozinha aos 17 anos. Foi uma mudança brusca e importante, mas também um choque que me terá amadurecido. Essa mudança, todo o meu percurso, as opções que fui tomando, que nem sempre foram as mais evidentes, e as coisas que tenho passado é que me fizeram amadurecer.


- Lida bem com as críticas?

-
Tenho um filtro. Penso nelas, oiço-as atentamente e tento percebê-las, mas depois seleciono aquilo em que realmente acredito. Já aprendi que, mesmo quando determinada crítica foi dura e verdadeira, percebo em que me é útil, mas depois não me massacro, até para não criar ansiedade no que há de vir. Arrumo bem as coisas e sigo viagem [risos].


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras