Nas Bancas

Manuel Maria Carrilho

Manuel Maria Carrilho

Pedro Simões

Julgamento de Manuel Maria Carrilho adiado

A nova data fixada foi 15 de março.

Andreia Guerreiro
18 de janeiro de 2011, 13:49


FOTOS:
Pedro Simões

Manuel Maria Carrilho
vai ser julgado por nove crimes, cinco de difamação e quatro de ofensa a pessoa coletiva, devido a um litígio com
António Cunha Vaz
. O julgamento que era para ter tido lugar esta manhã, foi adiado para dia 15 de março por questões processuais, porque um dos assistentes, o proprietário da Cunha Vaz & Associados, não foi indiciado pelo tribunal.


O caso remonta a 2005, depois de Carrilho ter acusado o empresário, no livro
Sob o Signo da Verdade
, de lhe ter proposto recolher fundos
"ilícitos"
e
"comprar opinião"
. Agora, o consultor pede uma indemnização de 120 mil euros e a sua empresa um montante que ascende aos 427,5 mil euros. Se o antigo governante for condenado, a indemnização reverterá a favor da Associação Mulheres Vítimas de Violência Doméstica.


Hoje de manhã no Campus da Justiça, em Lisboa, o antigo ministro da Cultura mostrou-se confiante:
"Sinto-me muito confortado com o que disse
[no livro]
"
. Carrilho disse ainda que está
"reconfortado"
com o debate que as suas declarações suscitaram sobre o papel das agências de comunicação e lembrou que
"na altura houve muitos intervenientes no processo que estão referidos no livro"
, sobretudo jornalistas, e que deste caso
"poderia ter resultado uma série de processos, acabando por ficar apenas um"
.


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras