Nas Bancas

Renato Seabra já foi ouvido pelo juiz e continuará detido

O jovem de Cantanhede volta a ser ouvido no dia 1 de Fevereiro no Supremo. Até lá, continuará detido, devido à 'seriedade e violência do crime', tal como alegou a procuradora Maxine Rosenthal.

Ana Oliveira
14 de janeiro de 2011, 18:19

Cinquenta e quatro segundos foi quanto durou a audição de Renato Seabra, realizada através de videoconferência. Na presença do seu advogado, David Touger, o jovem mostrou-se abatido, mas tranquilo, vestido com a roupa hospitalar. Esteve sempre de cabeça baixa, até ao momento em que o juiz decretou a proibição da captação de imagens. Nesse momento, Renato levantou a cabeça e esboçou um ligeiro sorriso.

Nesta audição, Renato Seabra ficou a saber que vai continuar detido, já que o juiz não aceitou o pagamento de uma fiança para que pudesse aguardar o julgamento em liberdade. A procuradora Maxine Rosenthal alegou a "seriedade e violência do crime". Foi também comunicado que o Grande Júri reuniu ontem e deliberou que o caso segue mesmo para tribunal, agora para o Supremo.

Bellevue Hospital
Bellevue Hospital
Rodrigo Freixo
1 de Fevereiro será um dia decisivo para este caso, já que é a data em que Renato Seabra será ouvido no Supremo. Até lá, continuará detido na ala prisional do Hospital Bellevue, em Nova Iorque, a menos que receba alta, e nesse caso irá para uma prisão. A partir daqui, existem dois cenários: caso Renato se considere culpado, o caso nem sequer seguirá para tribunal e será acordada uma pena entre a defesa e o Ministério Público. Se o jovem não se considerar culpado, o caso seguirá para julgamento.


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras