Nas Bancas

Ao lado da filha Ana, Isabel Stilwell fala do seu papel de avó: "Temos de aprender que os netos não são nossos"

A jornalista recebeu-nos na sua casa, em Sintra, e apresentou as netas, Madalena e Carmo, agora com quatro meses.

Melissa Tavanez
24 de dezembro de 2010, 18:28

Foi com uma alegria única que Isabel Stilwell, jornalista e diretora do jornal Destak, recebeu a notícia de que ia ser avó, e logo em dose dupla, pois a sua filha Ana, de 24 anos, esperava gémeas. Após 35 semanas de gestação, Madalena e Carmo nasceram perfeitamente saudáveis, dia 5 de agosto. A partir do momento em que vieram para casa, as gémeas passaram a ser o centro das atenções da avó e de toda a família. Por isso, é com a voz da razão, mas também com muito apego emocional, que a jornalista reconhece que nem sempre é fácil perceber que "os netos não são nossos e que estamos numa segunda linha".

A CARAS esteve em casa de Isabel Stilwell, em Sintra, onde a jornalista e a cantora partilharam como estão a viver esta nova fase das suas vidas.

- Parece muito empenhada neste seu novo papel de avó...
Isabel Stilwell - Ser avó é uma emoção enorme e nem eu própria pensava que ia ser assim. Revive-se todos os sentimentos que tivemos quando fomos mães. Apaixonamo-nos pelos bebés muito depressa, até mais do que as próprias mães, que ainda estão atordoadas pelo parto. Mas ser avó não é um papel simples. Temos de aprender que os netos não são nossos e que estamos numa segunda linha. Não podemos entrar pelo quarto adentro e dizer: "Dá cá o bebé que eu é que sei."

Ana e Isabel Stilwell com Madalena e Carmo
Ana e Isabel Stilwell com Madalena e Carmo
Nuno Miguel Sousa

- Tem essa tendência para dizer como é que se faz?
- [risos] Controlo-me. Eu e a minha filha conhecemo-nos muito bem e, mesmo que eu não intervenha, ela sabe o que é que eu estou a pensar. Mas tanto a Ana como o meu genro vieram da maternidade mais habilitados do que eu para lidar com as bebés.

- E para a Ana foi fácil adaptar-se ao papel de mãe, com duas recém-nascidas para cuidar ao mesmo tempo?
Ana Fonseca - No outro dia li um livro em que perguntavam às pessoas o que era ser um bom pai. Todas diziam que ser um bom pai era estar presente, mudar as fraldas... As respostas de como é ser uma boa mãe apontavam para uma perfeição inatingível! Toda a gente espera que a mãe seja tudo e mais alguma coisa. A mãe que tento ser é alguém que está aqui para lhes dar exatamente aquilo de que elas precisarem. Dou a minha melhor resposta, que pode estar aquém da resposta de outra pessoa, mas é a minha. Tenho a certeza de que quando tiver de me zangar com as minhas filhas, as minhas verdadeiras pérolas de sabedoria não me vão servir para nada. [risos] Sinto que é importante ter algumas coisas em que acreditar e tudo o resto constrói-se no dia-a-dia.

Isabel Stilwell com as netas
Isabel Stilwell com as netas
Nuno Miguel Sousa

- A Ana parece ser muito descontraída e pouco dada a complicar. Acredito que assim tudo se torne mais fácil...
- Ajuda imenso, porque assim podemos desfrutar de todos os momentos e não me estou a preocupar se está tudo bem feito. Eu e elas temos de estar bem, felizes e calmas. A tentação de as proteger de tudo é grande, mas tenho de perceber que não posso estar sempre a esterilizar todas as chuchas. E, nesse sentido, o facto de serem duas ajuda a que não compliquemos.

- E como é que tem sido para a Isabel conciliar a direção de um jornal e várias colaborações profissionais com os papéis de mãe, avó e mulher?
Isabel
- Num primeiro momento, foi um embate, não conseguia pensar em mais nada para além das minhas netas. Entretanto, a pessoa vai encontrando o seu lugar, o prazer no seu trabalho... Tenho de ter a consciência de que a minha vida não pode passar somente pelas minhas netas. E mais uma vez, não nos podemos esquecer de que aqueles bebés não são nossos. Os netos não são nossos filhos. A Ana esteve cá em casa um mês e quando se foi embora eu fiz o que era sensato, falei com ela e montámos a logística necessária... Mas quando as vi sair da minha casa, só eu sei como fiquei! Só me lembrava daquela música da Ágata: "Podes ficar com as joias, o carro e a casa, mas não fiques com ele." Neste caso, era com elas! [risos] Percebemos que vamos ter um papel de grande apoio à mãe, ambicionando sempre por aqueles momentos em que eu e o meu marido ficamos com elas e brincamos aos pais.

Ana e Isabel Stilwell
Ana e Isabel Stilwell
Nuno Miguel Sousa

- Com tantas atenções, não tem medo de que as suas filhas venham a ser muito mimadas?
Ana - Todos os pais têm esse medo, mas o facto de serem duas serena-me nesse sentido. E elas vão sempre crescer nesta condição, que é ter uma irmã gémea. As minhas filhas andam na rua e pára tudo para olhar para elas, porque são iguais, e isso é como crescer sendo uma estrela de rock. Acima de tudo, quero que sejam felizes.

- Quando ficou grávida, a Ana já estava a dar os primeiros passos para gravar um disco. O sonho agora ficou adiado?
- Não, e agora até me sinto mais inspirada. No primeiro concerto que dei depois de elas nascerem, senti-me com uma energia única. É bom saber que posso fazer aquilo de que gosto e chegar a casa e tê-las lá. E a produtora que está a trabalhar comigo, a Blim Records, sente esta minha energia e entusiasmo. Em princípio há uma editora interessada e espero que depois comecemos com as gravações para o disco. Estou ansiosa!

Isabel Stilwell
Isabel Stilwell
Nuno Miguel Sousa

- É curioso perceber que mesmo na sua vida profissional, a Isabel dá muita importância ao conceito de família, nomeadamente com os livros infantis ou as crónicas que escreve...
Isabel - Dá-me imenso prazer escrever sobre isso. Agora, estou a lançar o livro Quem Tem Medo do Lobo Mau?, que fala muito do que é ser pai e mãe. Peguei na história do Capuchinho Vermelho para explicar como é que podemos proteger os nossos filhos dos perigos. Para os meus livros infantis inspirava-me muito nos meus filhos, em características deles e histórias que se passavam com eles. Portanto, agora vou ter um novo manancial para escrever por causa das minhas netas.



*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras