Nas Bancas

António e Ivete Oliveira felizes há 18 anos: "A nossa relação tem pilares de betão, não abana perante as adversidades"

O casal conta como lutou contra o cancro de Ivete e como está a viver o conflito com o filho do ex-treinador, Vasco.

Andreia Guerreiro
15 de novembro de 2010, 19:10

Juntos há 18 anos, António e Ivete Oliveira criaram um "vínculo semiótico" que os une como só nas histórias de amor clássicas nos recordamos de ouvir contar. Conheceram-se tinha ele 40 anos e ela 37 e, desde então, têm construído uma relação com "pilares de betão", que, asseguram, não abana perante as adversidades.

A pior começou há seis anos, quando souberam que Ivete tinha cancro da mama. Enfrentaram juntos esta grande prova de resistência e conseguiram sobreviver aos tratamentos e à recidiva que os voltou a assombrar há três anos. Com consultas periódicas e exames duas vezes por ano em Houston (EUA), onde tem sido sempre acompanhada, a professora do ensino básico teve e tem no marido o seu grande suporte: "O apoio do António é fundamental. Ele está sempre nos meus pensamentos. O que vivemos juntos faz-me sentir jovem. Sou muito feliz!"

Ivete e António Oliveira
Ivete e António Oliveira
Joaquim Norte de Sousa
Orgulhoso e admirador da força da mulher, o ex-selecionador nacional, empresário e jurista recorda o que viveu quando Ivete adoeceu: "
Foi terrível! No primeiro momento pensa-se que é o fim. Mas hoje falamos da Ivete como uma resistente, como alguém que renasceu. Está aqui linda e viçosa, com a graça de Deus e dos médicos. Só tenho pena de não a ter conhecido há mais tempo!
"


Atualmente, Ivete é voluntária na Liga Portuguesa Contra o Cancro, no IPO do Porto, onde partilha com outros doentes de cancro a sua experiência, para lhes dar esperança. "
Sinto-me realizada com o trabalho que faço. Adoro dar-me aos doentes, porque sinto o retorno da dádiva que me deram, de ter sobrevivido.
"


Ivete e António Oliveira
Ivete e António Oliveira
Joaquim Norte de Sousa
Com a saúde estabilizada, tudo parecia tranquilo na vida de António e Ivete Oliveira, mas o casal voltou a ser posto à prova no início de outubro, com a entrada de
Vasco Oliveira
, filho de uma anterior relação do ex-selecionador, no programa
Secret Story - Casa dos Segredos
. Apesar de António Oliveira ter comunicado, desde o primeiro momento, que o filho é "
responsável exclusivo pelos seus atos, devendo, de igual forma, assumir as respetivas consequências
", Vasco Oliveira não tem dado tréguas ao pai e à madrasta, nem enquanto esteve no programa da TVI, nem nas muitas entrevistas que tem dado à comunicação social desde que de lá saiu. Perante tudo o que foi dito pelo filho, António Oliveira deu a conhecer, na semana passada, que iria processar judicialmente o filho, com o apoio da restante família. Mais um grande teste de união que António e Ivete terão de ultrapassar.


- Habituámo-nos a ver-vos sempre juntos, mas não sabemos como se conheceram...

Ivete Oliveira -
Conhecemo-nos através de um amigo comum, no restaurante Maias, na Boavista, que era do António. Na altura eu não sabia que ele estava ligado ao futebol. Eu dava aulas e tinha a minha vida organizada em Espinho. Namorámos uns tempos e fui-me integrando na vida dele com naturalidade e sem deslumbramentos. Vivemos juntos uns anos e antes do Mundial da Coreia-Japão, em 2002, o António pediu-me em casamento. Fizemos uma festa muito simpática, cujo tema foi precisamente a Coreia-Japão, e contámos com a presença de toda a família, inclusive os filhos do meu marido e os meus.


Ivete e António Oliveira
Ivete e António Oliveira
Joaquim Norte de Sousa
-
E 18 anos depois, preparam-se para se casar pela Igreja [assim que sair a anulação do primeiro casamento de António Oliveira], realizando um desejo antigo de ambos. Que balanço fazem da vossa vida em comum?

António Oliveira
-
Nestes 18 anos criámos uma relação muito forte, quase um vínculo semiótico. Há toda uma história que conseguimos viver, com altos e baixos, com mudanças, porque fomos sempre cúmplices na busca da satisfação. Somos dependentes um do outro. É muito gratificante, ao fim destes anos todos - que ainda vão a meio do que vamos viver juntos -, sentir que construímos muita coisa boa. Temos a consciência tranquila em relação a tudo o que fizemos e não há nada, nem nenhum momento, que nos possa envergonhar ou retirar o mínimo de confiança ou convicção. Os pilares que construímos são muito fortes, são de betão. Juntos, temos sempre motivos para viver, sorrir, festejar...

Ivete -
Porque partilhamos tudo, as coisas boas e as más. A nossa vida vai além do comum...

António -
Não pensem que a imagem que passamos é falsa, porque somos mesmo uma fortaleza. A nossa relação não assenta na intriga, nem na aldrabice, nem na futilidade, mas em valores que fomos cimentando e que resultaram no que somos hoje. Não se iludam, não há qualquer fingimento naquilo que somos. Estamos a construir uma relação para nós, tendo presente que tudo é transitório. É-nos extremamente fácil acordar todos os dias bem-dispostos, a sorrir e a cantar, porque temos a consciência tranquila. Sou um homem feliz.

Ivete -
Deve haver muitas mulheres que gostariam de estar no meu lugar. O meu marido é incrível. Sinto-me aconchegada ao pé do António, sou muito bem tratada, sou amada e tenho toda a família à minha volta. Não imagino a minha vida sem ele. É ao lado do António que quero morrer.


António e Ivete Oliveira
António e Ivete Oliveira
Joaquim Norte de Sousa
-
As adversidades têm servido para fomentar os elos que vos unem?

- Sim, as adversidades sedimentaram o nosso amor. Tem sido um percurso incomum, difícil. Primeiro, porque temos uma família muito grande e heterogénea. Segundo, porque a vida profissional do meu marido, no futebol, não tem sido fácil. Mas cada vez que ultrapassamos um obstáculo ficamos mais fortes.


-
E como tem sido a sua relação com os filhos do seu marido?

- Tive sempre uma relação cordial com todos os filhos do meu marido. Curiosamente, as pequenas quezílias que tive, quando conheci o António, foi com a
Joana
. Ela vivia com o pai e eu fui a mulher que entrou lá em casa... Como sou mãe, mulher e filha única, percebi perfeitamente que estávamos a definir o nosso espaço em casa e na vida do António. Além disso, que se resolveu num instante, nunca tive nenhuma questão com os filhos do meu marido.


Ivete e António Oliveira
Ivete e António Oliveira
Joaquim Norte de Sousa
-
Mas recentemente foram alvo de ataques públicos do Vasco Oliveira, que levaram o António a instaurar um processo-crime contra o filho. Como explica o que está a acontecer?

António -
Não tem sido agradável. Quando soube que ele tinha entrado para o programa, estava fora do País, mas fiz um comunicado a demarcar-me dos atos do meu filho, responsabilizando-o como adulto. Mas a partir do momento em que as coisas chegaram a este ponto, vi-me na obrigação de tomar outras medidas, que foram consideradas e decididas em família. O meu núcleo familiar teve conhecimento de tudo. São pessoas que eu amo e pelas quais me preocupo. Não foi uma decisão tomada levianamente. E não sinto qualquer satisfação com isto. Como é habitual, à sexta-feira reunimos em minha casa e tomamos decisões em conjunto. E isto acontece desde sempre. Nunca tomei unilateralmente uma decisão que afetasse, direta ou indiretamente, a minha família, sem consultar o meu núcleo familiar. E não posso dizer mais do que aquilo que está no comunicado.


- O que diz o comunicado?

- Dizemos que as declarações do Vasco publicadas na comunicação social ofendem gravemente a honra e consideração de todo o agregado familiar e, em particular, da Ivete, que sempre foi de irrepreensível conduta moral, social e profissional. Como tal, vimo-nos forçados a repudiar veementemente as falsas, torpes e vis afirmações, que constituem conduta criminosa e causadora de irreparáveis prejuízos. A partir de agora este assunto será tratado em sede própria e não devemos acrescentar mais nada sobre o assunto.

Ivete -
Eu só tenho a dizer que é totalmente falso tudo o que tem sido dito pelo Vasco sobre mim e a minha família. Como tal, em sede própria ser-lhe-ão pedidas responsabilidades.


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras