Nas Bancas

Cláudia Vieira conta como recuperou a boa forma depois de ter sido mãe

Desde que teve a filha, Maria, há quatro meses, a atriz e apresentadora já perdeu dez dos 13 quilos que engordou.

Joana Carreira
18 de agosto de 2010, 13:39

Após ter sido mãe, há quatro meses, Cláudia Vieira recuperou o 'estatuto' como uma das mulheres mais sensuais do País. Desde que Maria nasceu, a 5 de abril, a apresentadora tem-se esforçado - "mas não muito", confessa - para voltar à sua antiga forma física. Dos cerca de 13 quilos que ganhou com a gravidez, Cláudia conta que já só lhe falta perder três. O segredo? Amamentar, receber massagens drenantes, fazer carboxoterapia e frequentar o ginásio três ou quatro vezes por semana.

- Ser mãe é mais do que aquilo que alguma vez imaginou?
Cláudia Vieira - Ser mãe é amar mais do que alguma vez achámos possível; é uma sensação de que a vida só faz sentido se passarmos por esta experiência. Acima de tudo, acho que é impossível definir o que é ser mãe: é algo que tem tanto de comum como de especial.

- A Maria fez quatro meses. Como têm sido?
- Estes meses estão a ser a melhor fase da minha vida, com tudo o que implica uma gravidez e o pós-parto, como o descontrolo hormonal e outras coisas. A Maria era aquilo que faltava. As coisas têm corrido muito bem a nível profissional, a minha relação é muito estável e não me dá preocupações, a minha vida social é tranquila e dá-me muito prazer... Faltava-me constituir família, e está a ser genial. Está a saber-me muito bem viver esta maternidade, aprender a ser mãe.

Cláudia Vieira
Cláudia Vieira
António Bernardo
- Há muitas mulheres que sofrem de depressão pós-parto. É o seu caso?
- O que eu tenho sentido é tal e qual como na gravidez: tenho a sensibilidade mais à flor da pele. Às vezes aborreço-me por motivos que não são fortes, o que 'cai' mal, 'cai' mesmo muito mal e o que é bom é muito bom. Hormonalmente ainda não me sinto estável, mas não me parece que possa vir a sentir depressão. Ainda por cima estando já a fazer uma coisa que adoro, que é começar a trabalhar num programa que me deu tanto gozo
[Ídolos]
e saboreá-lo sem estar grávida. Estou a passar uma fase muito boa.


- Dizem que o nascimento do primeiro filho acentua as diferenças do casal e o facto de a mulher se dedicar mais à criança pode prejudicar a relação. Tem sido assim?
- Tem que haver uma boa gestão. Acho que a mulher, realmente, se foca muito no bebé e esquece-se um bocadinho de si própria, não só do casal. Há que ter consciência disso e, se calhar, abdicar de um tempo com o bebé para se dedicar à vida do casal, para organizar alguma coisa a dois. Eu e o
Pedro
temos tentado fazer essa gestão, continuamos a namorar bastante, naturalmente que de uma forma diferente, porque de repente a Maria chora e lá está outra vez a nossa atenção virada para ela. Mas não sinto que a nossa vida de casal saia lesionada, muito pelo contrário.


- Saiu reforçada?
- Exatamente. Não que precisássemos da Maria para nos unir mais, mas sentimos que estamos a criar a nossa família e isso é muito especial. E, acima de tudo, o Pedro é a pessoa certa para eu dar este passo e ser o pai dos meus filhos. O nosso amor mantém-se igual, sentimos é que criámos mais um espaço para amar a Maria.


Cláudia Vieira
Cláudia Vieira
António Bernardo
- Mudando de assunto: a Cláudia conseguiu emagrecer rapidamente. Fez tratamentos?
- O facto de estar a amamentar implica não poder fazer muita coisa a nível de tratamentos de clínica, só tenho feito massagens drenantes. Comecei quando a Maria já tinha dois meses, porque até aí foi complicado ter tempo para me afastar dela. Entretanto, vou começar a fazer outro tratamento, carboxoterapia.


- E ginásio, faz?
- Comecei a fazer a partir dos dois, três meses, em média três ou quatro dias por semana, durante cerca de duas horas. De resto, acho que a genética conta muito, tal como o facto de sempre ter feito muito exercício físico. E amamentar também ajuda a emagrecer: nestes quatro meses a Maria alimentou-se exclusivamente do meu leite.


- Quantos quilos engordou com a gravidez e quantos já perdeu?
- A Maria nasceu um mês antes do suposto e não sei exatamente qual era o meu peso, mas duas semanas antes já tinha engordado 12 quilos. Sou muito descontraída nesse aspeto, não ando a controlar o peso... há uns 15 dias ainda me faltavam perder cerca de três, quatro quilos. Isto está a acontecer tudo de uma forma muito natural. Não estava preocupada em ter já o peso anterior à gravidez quando começasse a gravar o
Ídolos
.


- Sei que leva a Maria sempre consigo para as gravações do programa. Porquê?
- Começou por se dever ao facto de estar a amamentar, mas neste momento é também porque nos faz bem às duas. Mesmo assim já estamos afastadas umas horas enquanto trabalho... Sabe-me bem e faz-me muita falta senti-la próxima de mim. Acaba por ser impensável estar quatro ou cinco dias longe dela.


Cláudia Vieira
Cláudia Vieira
António Bernardo
- Parece muito dependente da Maria...
- Estou dependente dela e ela de mim. Acho que o afastamento tem de ser gradual. Mas faço muita questão, nesta fase, de estar sempre próxima dela. Não o faço só por ela, faço-o por mim também.


- O Pedro também é assim?
- Acho que é inevitável os pais serem um pouco menos dependentes. Não que o Pedro seja um pai desligado, muito pelo contrário, é superpresente, já ficou com ela dias inteiros, é muito desenrascado, tem sido incrível, eu não estava a contar com tanto à vontade por parte dele a lidar com uma bebé. Mas ele também não consegue estar longe da filha durante dias, só um ou dois no máximo.


- É verdade que estão a pensar casar-se no dia em que batizarem a Maria?
- Não há nada de concreto, mas isso já nos passou pela cabeça, não sei se vai concretizar-se. Ainda não estamos a preparar nada, mas seria uma situação engraçada. Não é uma coisa essencial, mas gostávamos de nos casar e, se calhar, juntávamos o útil ao agradável. Num dia de festa tão especial para nós como será o batizado da nossa filha, celebrarmos o nosso casamento também seria importante.


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras