Nas Bancas

Sílvia Alberto: "Espero que os 30 anos me tragam serenidade"

A completar dez anos de carreira em televisão, a apresentadora, de 29 anos, fala sobre as suas ambições.

Joana Carreira
10 de agosto de 2010, 10:29

Acabada de chegar de férias, Sílvia Alberto esteve em Aveiro para inaugurar uma butique Nespresso, marca a que já se rendeu há vários anos, e cativou o Norte com a sua elegância, simpatia e juventude. A nove meses de completar 30 anos, brinca com a pressão do tempo e afirma que continua a preferir a leveza das coisas. Com dez anos de carreira televisiva, é licenciada em Dramaturgia e está a terminar o mestrado em Teoria da Literatura. Conhecimentos que faz questão de acumular para realização pessoal, mais do que para exercer profissionalmente. Curiosa e ansiosa, planeia o futuro focada na sua carreira. Do ponto de vista pessoal, tem a vida mais do que estabilizada ao lado de José Mariño. Nos seus planos a curto prazo não figura a maternidade, mas diz que dedicar-se ao filho do companheiro, André, de 13 anos, e aos sobrinhos permite-lhe pôr em prática o seu lado maternal.

- Terminou recentemente o programa Super Miúdos e em Setembro volta com Operação Triunfo. Até lá, vai estar de férias?
Sílvia Alberto - As minhas férias estão a terminar. Estive na Jordânia e nos Açores, e agora vou dedicar-me à faculdade e aos seminários de orientação da minha tese. Portanto, agosto será um mês de trabalho académico.

Sílvia Alberto
Sílvia Alberto
Joaquim Norte Sousa

- Vai querer aplicar a formação em dramaturgia e teoria da literatura no futuro? Quem sabe experimentar o teatro?
- A dramaturgia tem mais que ver com os estudos teatrais e serve-me, essencialmente, de bagagem cultural. Não me vejo a fazer teatro. Tenho os pés bem assentes na terra e aquilo que faço gosto de fazer bem. Escolhi este curso para valorização pessoal e porque pode acrescentar muito ao meu intelecto.


- Completa dez anos de carreira em televisão. Como analisa o seu percurso?
- A minha presença em televisão não tem sido muito assídua, digamos que apareço seis meses por ano... o que resulta em cinco anos de carreira. Mas tenho tido sorte, não me posso queixar. Para o futuro, e depois de defender a minha tese, vou querer apostar em projetos de autor. O
Scorsese
dizia "
um filme para mim outro para Hollywood
" e este raciocínio faz-me sentido.

Sílvia Alberto e Miguel Vieira
Sílvia Alberto e Miguel Vieira
Joaquim Norte Sousa

-
Sente a proximidade dos 30 anos?
- Sim, e vejo que já não sou adolescente e as coisas se tornam mais sérias. Eu gosto de leveza, de retirar peso às coisas, o que nem sempre é fácil. Principalmente quando estamos há dez anos no ecrã, essa leveza é difícil de transmitir. Espero que os 30 anos me tragam plenitude e serenidade. Até lá, vou tentar não ter uma grande depressão. [risos]


-
Quer dizer que não se considera serena?
- Não. Sou ansiosa, apesar de tentar aparentar segurança e determinação. Mas sou a primeira a chegar a casa e visionar o que fiz para perceber onde errei. Sou exigente, porque todos somos falíveis.


-
Faz parte dos seus planos ser mãe?
- Tenho sido, de certa forma. Tenho dois sobrinhos, de dois e quatro anos, e sou madrinha dos dois. E tenho acompanhado o crescimento do André. Não gosto de falar sobre a minha vida pessoal, mas pelo meu percurso académico dá para perceber que sou ambiciosa, e há planos que não se podem ter quando se tem grandes ambições profissionais.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras