Nas Bancas

Alexandra Lencastre: "Tenho vontade de viver um novo grande amor"

Aos 44 anos, a atriz prepara-se para um novo grande desafio profissional e confessa estar em pânico: uma década depois de ter subido ao palco pela última vez, Alexandra regressa ao teatro, em setembro, com a peça "Um Eléctrico Chamado Desejo".

Andreia Guerreiro
25 de junho de 2010, 11:40

Assumidamente cansada e desgastada com as gravações finais da telenovela Meu Amor, Alexandra Lencastre reconhece que os últimos tempos não têm sido fáceis. Entre especulações e muitas notícias sobre o seu estado de espírito - o facto de ter emagrecido, o fim conturbado da sua relação com o empresário Paulo Ferreira, o alegado romance com o realizador Fernando Ávila, a gestão familiar (a atriz tem duas filhas, Margarida e Catarina, com 14 e 11 anos, respetivamente) e o regresso ao teatro, uma década depois da sua última peça -, Alexandra acedeu a falar com os jornalistas, acabando por abrir o coração na inauguração do Terrace do SushiFashion By Seat Ibiza ST, em Cascais.

Durante esta conversa, a atriz começou por desmentir os rumores de que teria uma relação amorosa com Fernando Ávila: "Somos amigos há 25 anos! Já trabalhámos algumas vezes juntos, ele tem uma filha da idade das minhas e reencontrámo-nos recentemente, mas a história não passa daí", garantiu, admitindo, no entanto, que continua a sonhar com um grande amor: "Neste momento, tenho o meu coração muito sossegado. Não está fechado, apenas sossegado. Com certeza que tenho vontade de viver um novo grande amor, o que não quer dizer que já esteja preparada para isso. Quando criamos expectativas numa determinada relação e as coisas não correm bem, e tendo em conta o avançar da idade, o período de luto é cada vez maior. Ou talvez mais penoso. Nesta fase já não se avança para outra relação como se fazia aos 20 ou aos 30 anos..."

Alexandra Lencastre
Alexandra Lencastre
Natacha Brigham
Quanto ao fim do noivado com Paulo Ferreira, Alexandra Lencastre considera o assunto totalmente ultrapassado, não escondendo, ainda assim, alguma mágoa e tristeza:
"Criei, nessa relação, as expectativas certas, mas enganei-me. Com o passar do tempo tenho vindo a libertar-me das coisas más e a agarrar-me ao que existe de positivo, sejam as pessoas que me rodeiam, sejam novos projetos, mas, principalmente, às minhas filhas, que são a minha prioridade e o motor da minha vida."


No final do mês de Junho, a atriz termina as gravações e vai aproveitar ao máximo as duas semanas de férias que terá antes de enfrentar o
"pânico"
de voltar a pisar um palco, ainda para mais o do Teatro Nacional D. Maria II, no seu regresso após uma ausência de dez anos. Em julho começam os ensaios e a estreia está agendada para setembro. Até lá, Alexandra vai dedicar-se em exclusivo às filhas, também elas atingidas por tudo o que se passa e escreve: "
Apesar delas terem mecanismos de defesa e de, tanto eu como o pai, lhes termos ensinado e explicado tudo em relação ao que se diz e escreve, a verdade é que elas sentem e também pagam a fatura. Por vezes revoltam-se com as notícias e também comigo. Em contrapartida, neste momento, é muito bom perceber que elas são as minhas grandes companheiras. Perdem-se umas coisas e ganham-se outras, e a verdade é que já há muito tempo que não tinha tanta disponibilidade para elas, por estar mais preocupada comigo enquanto mulher e a fazer uma aposta num determinado futuro, que incluía também a felicidade e o conforto delas. Hoje, penso que se abriram novos caminhos na relação com as minhas filhas. Partilhamos muito e elas ensinam-me imenso"
, assegura, orgulhosa.


Alexandra Lencastre
Alexandra Lencastre
Natacha Brigham
Com menos vontade de chorar e com mais razões para sorrir, Alexandra reconhece sentir-se bem sem os quilos que perdeu:
"Penso que o estado de espírito se reflete na nossa imagem. Houve uma altura em que me sentia um bocadinho infeliz e até desconcertada. Sou baixinha e nunca me tinha visto assim, a não ser quando estive grávida. Naquela época, quase não me reconhecia"
, diz, concluindo:
"É tudo uma questão de sobrevivência. Temos mesmo de dar a volta por cima. Caso contrário, paramos, e parar é morrer."




Siga a CARAS no
e no
!


*Este texto foi escrito nos termos do novo acordo ortográfico.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras