Nas Bancas

Lúcia Moniz conta com o apoio da filha na sua carreira

"É muito giro ver a compreensão e até sentir o incentivo por parte da Júlia"

Andreia Guerreiro
2 de junho de 2010, 10:25

Lúcia Moniz subiu pela quarta vez ao palco do Rock in Rio. A primeira vez foi de improviso, a convite do cantor Zé Ricardo, que a viu na plateia e desafiou a fazer um duo improvisado. Depois disso, já participou três vezes, enquanto artista convidada pela organização. Foi por isso na Cidade do Rock, espaço onde decorre o festival de música, que a actriz e cantora conversou com a CARAS sobre esta experiência e sobre a relação próxima que tem com a filha, Júlia, de seis anos. De fora ficou a relação com o namorado, Bernardo Mendonça, que Lúcia, de 33 anos, pretende manter reservada.

- Como é actuar no Rock in Rio?
Lúcia Moniz -
É maravilhoso e proporciona um nervoso miudinho agradável, o que também sinto em televisão ou cinema, mas aí é outro tempo e há outra forma de trabalhar. Em concertos ou peças de teatro tem-se uma só oportunidade. Gosto muito do Rock in Rio, é um espectáculo com história, um grande desafio, e estou muito contente.

- Está a gravar um novo álbum e há seis anos que não o fazia, precisamente a idade que a Júlia tem. Apercebeu-se que já tinha passado tanto tempo?
-
Costuma-se dizer que é com as crianças que se vê o tempo a passar, e foi isso que aconteceu neste caso. Fui fazendo outras coisas, oportunidades na área da representação que não poderia perder, e agora senti saudades de cantar, de compor. Além disso, o público na rua também começou a pedir-me regularmente para gravar, e isso foi um incentivo.

- Esteve dois meses a gravar no Canadá a série Living in Your Car. Nessas ocasiões, como se lida com as saudades, com o facto de não poder acompanhar o dia-a-dia da sua filha?
-
Não faço muita ginástica mental nesse aspecto, porque acho que só iria antecipar o sofrimento. Quando a Júlia não está comigo, sei que está bem entregue, mas custa muito, porque temos muitas saudades uma da outra. Essa separação é, de facto, a que custa mais.

Lúcia Moniz
Lúcia Moniz
Mike Sergeant
- A Júlia entende as suas ausências?
-
Muito, é algo a que já está habituada e que tem surgido naturalmente. Ela é muito compreensiva com as minhas ausências, até porque sempre lhe expliquei tudo. Para ela é normal, e eu também passei por isso em miúda, e não é nada do outro mundo. É muito giro ver essa compreensão e até sentir o incentivo por parte dela.


- A Júlia já começa a demonstrar aptidão para a representação ou a música?
-
Ela faz tudo, não há nada a fazer. É uma artista. [risos] Acho muita piada a todas essas vocações que ela tem e gosto que as explore. Quando chegar a altura de decidir o que vai fazer, logo se vê.


- O que vai ganhando mais valor, a música ou a representação?
-
Está muito equilibrado, por isso mesmo é que, conforme o que vai surgindo, vou dando prioridade a uma coisa ou a outra.


- Nesta fase da sua vida está totalmente dedicada ao trabalho?
-
Completamente. Estou com imensos projectos giros e quero aproveitar tudo com muito empenho, mas claro que estou sempre dedicada à família em primeiro lugar.




Siga a CARAS no
e no
!


Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras