Nas Bancas

Isabel Angelino e Ângelo Rebelo celebram, felizes, o primeiro ano de casados

A apresentadora e o cirurgião plástico, casados desde Fevereiro de 2009, vivem em perfeita sintonia.

Melissa Tavanez
3 de março de 2010, 10:28

Quando se conheceram, Isabel Angelino, de 43 anos, e Ângelo Rebelo, de 56, perceberam rapidamente que a vida só faria sentido se a partilhassem e, cinco meses depois de começarem a namorar, casaram-se. Um ano depois, continuam com as mesmas certezas, o mesmo amor e a mesma paixão. Com esta união, a apresentadora, que é filha única, viu a família aumentar, pois o cirurgião plástico tem três filhos de anteriores relações: Hugo, de 34 anos, André, de 33, e Rita, de 17, e um neto, Francisco, de um ano e nove meses, filho de Hugo.

Dias antes do primeiro aniversário do casamento - celebrado a 20 de Fevereiro - ,

Isabel e Ângelo abriram as portas de sua casa à CARAS e contaram como foi este primeiro ano a dois.

- Qual o balanço deste primeiro ano?

Ângelo Rebelo - Tem sido intenso e muito bem vivido, parece que já estamos casados há muitos anos.

Isabel Angelino - Temos partilhado tudo, o trabalho, as viagens, as preocupações... E acho que isso é muito importante, é o segredo para que o casamento continue com a tal chama, o que nos torna cada vez mais cúmplices.

- São um casal com muitos gostos em comum...

- Para além da química inicial, depois descobrimos que há muitas coisas que nos unem, tanto na forma de ser, estar e encarar a vida, como nas aventuras das viagens, por exemplo, pois ambos gostamos de partir à descoberta. E até aí há uma grande vontade de partilha, pois também visitamos locais que já conhecíamos individualmente, e o facto de o fazermos juntos tem outro sabor, os sítios revelam-se completamente diferentes.

- É 'saboroso' quando o amor ainda consegue surpreender?

- Não é só o amor, é a vida que ainda nos consegue surpreender todos os dias. O meu amor todos os dias me surpreende e eu a ele, e é esse desafio constante que torna tudo mais aliciante e verdadeiro. Agradeço todos os dias por poder desfrutar da vida como temos feito até aqui.

Isabel Angelino e Ângelo Rebelo
Isabel Angelino e Ângelo Rebelo
João Lima
- Alguma vez pensou que era possível ter uma relação assim?

- Todos nós temos este ideal de relação, de encontrarmos a alma gémea, a pessoa com quem partilhar tudo, mas é difícil acreditar que seja possível, pois também temos maus exemplos à nossa volta. Mas quando se vivem histórias como a nossa, percebe-se que a felicidade realmente existe.

- São muito atentos às necessidades um do outro?

- Quando se ama, é muito bom cuidar da outra pessoa, mas também é maravilhoso ter quem cuide de nós. E o Ângelo cuida de mim. E tem outra coisa muito boa, que é o facto de nunca ter perdido o romantismo. Antes de nos casarmos, todos os dias me enviava uma mensagem depois de sair de casa. E continua a fazê-lo. Esses pequenos grandes gestos nunca se devem perder se se quer alimentar a relação. Temos um trabalho muito intenso, mas também desfrutamos ao máximo do tempo que temos para estar juntos. O que quer que seja que façamos, nem que seja uma ida ao cinema, é muito saboroso.

Ângelo - O importante numa relação é haver naturalidade e nunca obrigatoriedade.

- E são eses 'pequenos' cuidados que têm um com o outro que fazem com que o amor perdure?

- Um dos segredos da longevidade do amor é a preocupação com o bem-estar do outro.

Isabel Angelino e Ângelo Rebelo
Isabel Angelino e Ângelo Rebelo
João Lima
- Sempre pensaram assim, ou isso tem por detrás outras vivências e maturidade?

Isabel - Todos nós somos o reflexo das experiências vividas. É claro que com o passar dos anos não se ganham só rugas... [risos] Esta é uma relação mais madura, mais consciente, sem pressas nem ansiedades, mas sim saboreando as coisas no momento certo. É tudo vivido com uma maior calma e serenidade.

Ângelo - A maturidade também traz condescendência, que é muito importante na vida a dois. Provavelmente, o que há vinte anos me faria ferver em pouca água, hoje em dia já não acontece, já acho que há coisas que não valem a pena. Se amo a Isabel como amo, não vale a pena pegar em coisas supérfluas e fazer uma batalha.

- O que julgam ser fundamental numa relação?

Isabel - A amizade, sermos muito amigos um do outro, mas também respeitarmo-nos muito. E acho que a admiração também é fundamental.

- Conseguem deixar os problemas profissionais à porta de casa?

Ângelo - Tentamos, mas também há necessidade de falar sobre eles, há sempre uma situação ou outra que gostamos de partilhar.

- Sei que a Isabel é uma óptima dona de casa...

Isabel - É verdade. Gosto muito de cuidar da casa, de decorar, de sentir a harmonia no espaço. Este é o nosso refúgio, e todos os objectos que aqui estão nos dizem muito, são recordações de viagens, coisas que comprámos juntos ou que oferecemos um ao outro, tudo tem uma história. E gosto muito de chegar ao fim do dia, fazer o jantar, sentarmo-nos à mesa e partilharmos a refeição a dois, sempre à luz das velas. Esse momento é muito importante para nós e assim que entramos em casa sentimos uma paz de espírito imensa.

Isabel Angelino e Ângelo Rebelo
Isabel Angelino e Ângelo Rebelo
João Lima
- Com o casamento a Isabel ganhou uma família nova e até já é avó...

- É verdade! Veio tudo no mesmo pacote e, sem ser mãe, já sou avó! [risos] Aumentei a família de uma forma galopante.

- Esta 'família alargada' deve ter um sabor especial para si, principalmente por ser filha única...

- Há muito mais animação! Em miúda, apesar de dizer que não queria irmãos, quando via filmes com as famílias reunidas à mesa, imaginava como devia ser giro. E hoje em dia isso acontece quando reunimos a família toda.

Ângelo - Gostamos de fazer almoços e jantares de família com regularidade e também vêm os pais da Isabel. Não é uma família muito numerosa, mas já enchemos umas mesas! [risos]

- Foi bem recebida por todos...

Isabel - Sim, mas também recebi bem, [risos] e isso é importante.

Ângelo - Houve logo uma empatia. Também tenho de dizer que tenho uma convivência regular com os meus três filhos e que falamos praticamente todos os dias, mas, digamos assim, nem eles são lapas, nem nós! [risos] Ninguém interfere na vida de ninguém. Eles adoram a Isabel, o pequenino também. E a Isabel gosta de lhe dar prendinhas, ainda agora trouxe-lhe uns pijaminhas e umas babushkas de Marrocos...

- O facto de já terem um bebé na família não faz com que possam adiar a construção de uma família vossa?

Isabel - Não vejo isso dessa forma, não é nada premeditado. Nesta altura estamos muito empenhados em viver a dois e em desfrutar desta relação, mas se um dia surgir um terceiro elemento, será bem-vindo.

Ângelo - Os nossos projectos a longo prazo são o amanhã, desejando sempre que tenhamos muitos amanhãs. E tal como não programamos nada, não dizemos que sim nem que não a um filho.

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras