Nas Bancas

Cláudia Vieira e Pedro Teixeira: Retrato de um casal apaixonado

Em exclusivo para a CARAS, a actriz e apresentadora de 'Ídolos' e o actor abriram uma excepção e falaram do seu romance e do bebé que está previsto nascer em Maio.

Andreia Guerreiro
27 de janeiro de 2010, 11:31

A história de amor de Cláudia Vieira e Pedro Teixeira daria um bom argumento para uma novela, não fosse o enredo ter coincidido precisamente com o que já estava traçado num guião. O desenrolar da acção começa na série Morangos com Açúcar, há cinco anos, onde faziam par romântico na pele de Ana Luísa e Simão. Na vida real, apaixonaram-se quase ao mesmo tempo que as suas personagens, mas durante uns tempos foram obrigados a viver esse amor às escondidas. Não sabiam se estavam perante a pessoa certa, se teriam futuro juntos. A realidade acabou por espelhar a ficção e das próximas cenas do guião faz parte um filho, uma menina, cujo nascimento está previsto para o início de Maio. Mas recuemos um pouco na história. Uma história feita de momentos felizes que a apresentadora de Ídolos e o actor, ambos de 30 anos, revelam nesta primeira entrevista conjunta, que deram em exclusivo à CARAS, abrindo uma excepção que dizem ser única, pois querem continuar a preservar a sua intimidade. A acompanhar, ficam algumas imagens marcantes captadas em Sintra, no Palácio de Seteais.

Pedro Teixeira e Cláudia Vieira em produção exclusiva para a CARAS
Pedro Teixeira e Cláudia Vieira em produção exclusiva para a CARAS
João Lima
- A partir de que momento é que perceberam que a vossa relação era especial?
Cláudia -
Foi quase assim que começámos a namorar. É engraçado, porque eu sou muito terra a terra e penso muito nas coisas antes de as fazer, mas neste caso fui viver com o Pedro após três ou quatro meses de namoro. Claro que não pensei se iria ser para a vida, se o Pedro iria ser o pai dos meus filhos... Depois, as coisas foram acontecendo de forma natural, e nós, por mais conscientes que possamos ser, optámos por não pensar muito sobre elas. Todos os passos que demos como casal foram acontecendo: passámos a viver juntos, depois comprámos casa em conjunto... E no que toca a ter filhos, andávamos a falar nisso há bastante tempo... Era uma coisa que desejávamos, mas tínhamos noção, em termos de timing, que seria complicado, se bem que não exista realmente o tempo certo. Acabou por acontecer agora. Não sendo uma relação demasiado reflectida, achamos que temos o necessário para dar certo.


- O facto de se terem conhecido no plateau não vos levou a pensar que era apenas mais um namorico?
Pedro -
Não pensámos muito nisso. Passávamos muito tempo juntos, gostávamos do que estávamos a viver...

Cláudia -
Ficámos bons amigos e rapidamente percebemos que era mais do que uma amizade...


- Nunca pensaram que em futuros trabalhos um de vocês se poderia envolver com outro colega, tal como vos acontecera?
-
Confesso que isso nos passou pela cabeça, sim, mas numa altura em que ainda éramos um bocadinho imaturos. E confesso também que no início, quando o Pedro contracenou com algumas raparigas com quem fez par romântico, isso me provocava uma ciumeira terrível. Mas era a insegurança típica de um namoro que ainda não tinha estabilidade.

Pedro -
As coisas acontecem quando estamos disponíveis para acontecerem. A partir do momento em que passamos a estar indisponíveis, em que temos o coração ocupado, vivemos só para aquele amor.


Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
João Lima
- Agora sentem-se seguros?
Cláudia -
Posso dizer que não me sinto minimamente carente. [risos] Tenho plena consciência de que as relações têm de ser vividas no momento, sem se pensar muito como vai ser daqui a cinco ou dez anos. Temos de saber alimentar a relação e, acima de tudo, passar à pessoa que temos ao nosso lado o quanto ela é importante para nós. Se isso for acontecendo, o Pedro sente-se tranquilo e, ao mesmo tempo, a paixão continua acesa.


- Olham para a vossa relação como um dado adquirido ou evitam acomodar-se?
-
É importante não nos esquecermos um do outro.

Pedro -
Para a relação funcionar bem, devemos dizer 'amo-te' todos os dias ...

Cláudia -
Hoje ainda não me disseste...

Pedro -
Já disse, já... [risos] Depois, é fundamental respeitarmo-nos, confiarmos um no outro...

Cláudia -
E sermos sinceros. Nós falamos de tudo: como a pessoa é, se existem falhas, se é preciso corrigir algumas coisas.

Pedro -
É bom que haja esta abertura, para nos compreendermos bem um ao outro.


Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
João Lima
- Mudariam alguma coisa um no outro?
-
Eu não mudava nada na Cláudia, já ela em mim...

Cláudia -
Eu só lhe dava uma injecçãozinha de responsabilidade, [risos] mas acho que esta nova fase que aí vem vai dar-lhe essa responsabilidade.


- Com uma vida tão agitada, como é que têm tempo para fortalecer a relação?
-
Bem, estamos muito habituados a que os nossos ritmos sejam muito acelerados. Ao mesmo tempo, tentamos respeitar o que tínhamos planeado fazer a dois. As nossas vidas agitadas têm uma mais-valia: temos de marcar na agenda um dia para sairmos, para jantarmos...


- Qual é o mais romântico?
-
O Pedro. Ele é muito de verbalizar os sentimentos e de fazer surpresas.


- O Pedro consegue fazê-la sentir-se especial todos os dias?
-
Consegue fazer-me sentir especial... mas não todos os dias! [risos]

Pedro -
A Cláudia é muito exigente...

Cláudia -
Sim, sou realmente muito exigente... O Pedro tem determinadas paixões e coisas que gosta de fazer que eu tenho de saber respeitar, mesmo que isso implique, às vezes, ele passar-me para segundo plano.

Pedro -
Nunca passaria a Cláudia para segundo plano, ela é mimada e eu mimo-a muito!!!


Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
João Lima
- Na vossa relação, ainda há muito para construir a dois?
Cláudia -
Se há! Posso dizer, por exemplo, que gostaríamos de ser daqueles casais que todos os anos viajam juntos. E nós viajámos este ano, mas a última vez que o tínhamos feito tinha sido há quatro anos. São pequenas coisas que temos de ir trabalhando.


- E casarem-se?
-
Gostaríamos de ter esse dia, embora para mim não seja essencial.

Pedro -
Eu gostava de me casar para partilhar esse dia com os meus amigos! Não vou ser mais feliz se me casar, mas seria um dia de festa...


- Consideram que a fidelidade é fundamental?
Cláudia -
Sem dúvida... É fundamental sentir que aquela pessoa não tem interesse por outra. E, para isso, claro que é preciso 'trabalharmos' para alimentar a relação. Se uma pessoa deseja outra, é porque algo já não está a funcionar.


Pedro Teixeira e Cláudia Vieira em produção exclusiva para a CARAS
Pedro Teixeira e Cláudia Vieira em produção exclusiva para a CARAS
João Lima
- Um bebé é uma prova de fogo para uma relação?
-
Acho que sim. Não é um bebé que une um casal que esteja mal, mas pode ser um bebé a estragar uma relação que esteja bem. Acho que se torna difícil ser-se racional a nível de gestão de tempo, de vida, de carinho.


- Já disse numa entrevista que estava preparada para ser mãe. Agora que o momento se aproxima, isso continua a ser uma certeza?
-
Sempre tive um instinto maternal muito forte. Tenho uma irmã mais nova, uma sobrinha, e sempre gostei muito de crianças. Ter um filho era uma coisa que queria muito e não penso no que vou perder, mas sim no que vou ganhar. Acho que ter uma criança me vai dar força para enfrentar tudo e todos.

Pedro -
Todo o ser humano está preparado, e quando não está, tem de se esforçar. Os filhos são uma prioridade, e se os pais tiverem de deixar de comer para dar aos filhos, deixam...


- Mas um filho vai limitar a vossa liberdade...
Cláudia -
Vou certamente ser uma mãe muito presente e esforçar-me muito para ajustar a minha vida à da minha filha, mas, e isto sou eu a falar hoje, acho que não vou ter problemas em deixar a minha filha com a minha irmã, a minha mãe ou a minha sogra para eu e o Pedro termos tempo para nós.

Pedro -
Se os nossos pais nos educaram, podem certamente ajudar a educar os nossos filhos. Há momentos em que podem fazer bem o papel deles, que é mimar um neto.


Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
Cláudia Vieira e Pedro Teixeira em produção exclusiva para a CARAS
João Lima
- Agora que vê o corpo a mudar, a barriga a crescer, continua a sentir-se bonita?
Cláudia -
Estou a adorar estar grávida. Confesso que, como sempre fui magra e nunca tive barriga, não sabia o que era ter este volume. Sinto-me bem, sinto-me linda, com uma capacidade extra. Não me está a incomodar nada. Estou a ter uma gravidez tranquila, à excepção de uns vómitos no final do terceiro mês, mas não sinto pernas inchadas, nem pés cansados, nem tenho dores em parte alguma.

Pedro -
A Cláudia está linda, continua supersensual. É a grávida mais bonita! O rosto dela irradia a felicidade de estar grávida.


- Tem sido vítima de caprichos?
Cláudia -
Confesso que tenho tido desejos de muita coisa. No início, só me apetecia sopa e fruta, agora prefiro carne, batatas fritas... Como de tudo, porque vou ao ginásio, faço massagens drenantes e não tenho tendência para engordar. Queria ter cuidado com a alimentação, porque o que eu como é absorvido pela bebé, mas, por outro lado, se não como fico ansiosa...


- Sente que está mais sensível?
-
Realmente, é um momento em que se vivem as emoções ao rubro. Ficamos radiantes com o que nos faz felizes e choramos com facilidade se alguma coisa nos incomoda...


Cláudia Vieira em produção para a CARAS
Cláudia Vieira em produção para a CARAS
João Lima
- O Pedro já confessou que gostaria de assistir ao parto. Isso dá-lhe mais segurança ou preferia estar sozinha nesse momento?
-
Sabe-me bem ter o Pedro a meu lado em todas as situações da minha vida, por isso, de certeza que me vai saber muito bem tê-lo ao meu lado nessa altura.


- Na data prevista para o parto, o Pedro vai estar em gravações para a novela, pode correr o risco de chegar atrasado...
-
O trabalho é que corre o risco de não contar com o Pedro. [risos] As pessoas que o conhecem sabem o que ele vibra com determinados momentos, e esse vai ser impossível roubar-lhe.


- Já escolheram o nome para a bebé?
Pedro -
Temos alguns de que gostamos, mas na altura logo veremos.

Cláudia -
Gostava de escolher o nome antes dela nascer, mas eu já soube de tantos casos em que os pais alteraram o nome previsto quando viram o bebé... Existem algumas hipóteses fortes, mas não as revelamos porque não está de facto escolhido.






Siga a CARAS no
e no
!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras