Nas Bancas

Elvis Presley: Na memória dos fãs continua vivo

Graceland é o santuário onde se glorifica a memória do 'Rei'.

Melissa Tavanez
9 de janeiro de 2010, 15:32

Três décadas depois da sua morte - que muitos fãs ainda hoje se recusam a aceitar -, Elvis Presley continua a ser um fenómeno de vendas. Não apenas de discos, mas de toda a espécie de memorabilia. Graceland, a mansão (com 54 mil m² de terreno envolvente) que Elvis adquiriu em Memphis, em 1957, três anos depois de começar oficialmente a sua carreira, e onde morreu, vítima de excesso de medicamentos, foi declarada património histórico americano em 2006 e é, ainda hoje, a segunda casa mais visitada dos EUA (700 mil visitantes/ano), a seguir à Casa Branca.

Graceland é o santuário onde se glorifica a memória do Rei.
Graceland é o santuário onde se glorifica a memória do ‘Rei’.
AFP /Getty /Reuters

Na capela adjacente realizam-se, anualmente, centenas de casamentos. As vendas de discos ultrapassaram há muito o número recorde de um bilião, e tudo o que pertenceu ao músico - de madeixas de cabelo a motos, carros ou peças de vestuário (nomeadamente os exuberantes fatos-macaco com que se apresentava em palco nos últimos anos) - é susceptível de atingir valores astronómicos em leilões. E só clubes de fãs oficiais são 350 a nível mundial. Já para não falar dos sósias e imitadores que pululam por todo o lado.

Naturalmente, os 75 anos do nascimento do "Rei do Rock" serão assinalados em grande por todos os EUA e, sobretudo, em Graceland, onde de 7 a 11 de Janeiro se realizam concertos, espectáculos de dança, palestras e festas que terão como anfitriãs Lisa Marie e Priscilla Presley. Afinal, o "Rei" continua vivo!

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras