Nas Bancas

Eugénio Campos em família: 'Somos uma equipa imbatível'

Antes de partir para o Brasil, onde festejou a passagem de ano, o joalheiro revelou-nos o seu lado pessoal.

Andreia Guerreiro
4 de janeiro de 2010, 13:39

Conhecido e reconhecido que é o trabalho de Eugénio Campos no mundo da joalharia, a CARAS dá agora a conhecer o lado mais pessoal e familiar do empresário, que, no início do milénio, começou a trabalhar as jóias e, desde então, tem surpreendido com peças para todos os estilos, idades e personalidades.
Cúmplice em todos os momentos, Rosa Maria é a mulher que conquistou há 25 anos e que continua a ser a sua fonte de inspiração. As declarações de amor são uma constante e o espírito jovem que cultivam é o alimento da sua paixão, que tem nos filhos, Rafaela, de 16 anos, e Diogo, de 13, a sua maior concretização.
Uma família unida e cúmplice, equilibrada e divertida, que conhecemos durante um requintado jantar no restaurante Buhle, antes da partida para o Brasil, onde os quatro celebraram a passagem de ano.

- O Eugénio conheceu a Rosa Maria há 25 anos. Conte-nos como se cruzaram.
Eugénio Campos -
Nós andávamos no mesmo liceu, em Vila Nova de Gaia. Éramos muito jovens, mas foi amor à primeira vista. Desde então, e já lá vão 25 anos, não voltámos a separar-nos. Casámo-nos em 1991, depois de sete anos de namoro, e em 1993 nasceu a Rafaela, seguindo-se o Diogo, em 1996. E foi assim que constituímos a nossa família, que é o meu grande orgulho. Somos quatro amigos muito unidos. É à minha família que vou buscar o equilíbrio que preciso para o dia-a-dia. Eles compreendem as minhas ausências, pois sabem que tenho uma vida muito preenchida. É com eles que quero usufruir das coisas boas da vida, além do trabalho.

Eugénio Campos com a mulher, Rosa Maria
Eugénio Campos com a mulher, Rosa Maria
Joaquim Norte de Sousa
- Mas também é com eles que partilha o trabalho. A Rafaela e o Diogo já têm uma linha em nome próprio e a Rosa Maria é o seu braço direito...
-
Sim, também partilho muito o trabalho com a família. A minha mulher ajuda-me na criatividade e no design de todas as marcas. E os miúdos sempre foram muito participativos e interessados, opinavam sobre tudo, por isso este ano entendemos que estava na altura de lançar um projecto com o nome deles. O Di Rafa Club by Eugénio Campos conta com a intervenção directa e activa deles e está no mercado com bastante sucesso.


- Como surgem as jóias no seu percurso?
-
Depois de terminar os estudos de Economia e Gestão, entendi que devia mudar de área. Naquela altura não havia o grau de exigência que há hoje. O mercado estava apático e eu, tal como os outros, limitava-me a comercializar produtos de ourivesaria sem grande design. Em meados de 2000, o mercado tornou-se mais exigente e, como já tinha conhecimentos, transformei os produtos que comercializava e criei a marca Eugénio Campos. Tinha de trabalhar produtos exclusivos, idealizados e criados por mim. Aos poucos a marca foi evoluindo e em 2004 conseguimos ter notoriedade no sector.


- Rosa Maria, como é estar ao lado do Eugénio há 25 anos, pessoal e profissionalmente?
Rosa Maria -
Ele é um bom amigo, companheiro e um bom pai...

Eugénio -
Considero-me uma pessoa diferente pessoal e profissionalmente. No trabalho, tento ser o mais responsável possível e exigente. Em termos pessoais, continuo apaixonado pela minha mulher e pela família. A Rosa Maria sempre me acompanhou e teve sempre um papel activo em todo o processo. Somos uma equipa imbatível.


Eugénio Campos com a mulher, Rosa Maria, e os filhosm Rafaela e Diogo
Eugénio Campos com a mulher, Rosa Maria, e os filhosm Rafaela e Diogo
Joaquim Norte de Sousa
- Têm algum programa especial para a passagem de ano?
-
Depois do Natal fazemos sempre férias juntos. Nos últimos anos temos ido ao Brasil, e este ano não vai ser excepção. Vamos para o Rio de Janeiro e, vestidos de branco, vamos mergulhar nas águas quentes para entrar bem em 2010. São umas férias especiais, porque passamos dez dias juntos. Regressamos com as energias renovadas.


- Costuma fazer um balanço no final de cada ano?
-
Na última semana do ano, quando estou de férias, tenho tempo para pensar no que fiz e aproveito para estruturar e perspectivar o novo ano.


- Vê nos seus filhos possíveis seguidores do seu trabalho?
-
Sim, acho que a marca vai ter sucessão nos meus filhos. E saber isto ajuda-me muito. Acredito que o futuro deles passa por dar continuidade ao trabalho que eu e a mãe começámos. E cada um terá um papel diferente na empresa. Prevejo que a Rafaela irá para a parte de gestão e o Diogo ficará, claramente, com o design e a criatividade. Ele desenha muito bem e tem um gosto muito refinado. Saber desta disposição dos meus filhos em continuar com este projecto ajuda-me a ir em frente.


Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras