Nas Bancas

Isabel Moya junta 60 amigas em almoço de Natal solidário

"A Isabel sabe organizar muito bem estes almoços." (Isilda Peixe)

Andreia Guerreiro
3 de janeiro de 2010, 11:39

Todos os anos Isabel Moya reúne um grupo de amigas para um almoço de Natal, mas este ano, pela primeira vez, pediu-lhes que trouxessem um brinquedo para ser entregue a crianças de uma instituição. "Este almoço não costuma ter esta vertente solidária, mas era um assunto que já tinha sido falado e desta vez resolvi pedir-lhes que trouxessem um presente, pois é uma maneira de ajudar pessoas que precisam", explicou a anfitriã, que acabou por escolher a Fundação do Benfica, da qual o marido, Carlos Moya, é presidente-executivo, para entregar as ofertas das amigas. "Comentei, por acaso, com o meu marido que íamos dar presentes a uma instituição de caridade, e ele é que se lembrou que poderíamos oferecê-los à fundação, uma vez que, estando ainda no início, não tem grandes apoios. Por isso, decidi dá-los, através da fundação, a crianças da escola da Amadora, pertencentes a famílias carenciadas", explicou Isabel Moya durante o almoço, que decorreu no hotel Altis Belém.

Isabel Moya e Noémia Catarino
Isabel Moya e Noémia Catarino
Victor Freitas
Foram 60 as amigas que conseguiram estar presentes neste almoço-convívio, que Isabel faz questão de organizar com bastante antecedência.
"Dá um bocadinho de trabalho organizar estes almoços, são muitas mensagens e telefonemas... Passo uma tarde inteira a enviar mensagens através do telemóvel, pois faço mais de 100 convites, depois, no dia do almoço, quase nem me consigo arranjar, porque passo a manhã inteira ao telefone a falar com as que não conseguem vir e com aquelas que vêm mas que entretanto se esqueceram do local ou da hora combinada..."
, revela a empresária, que, já durante o café, acabou por surpreender as amigas com a leitura de alguns versos compostos por si própria.



"Não costumo fazê-lo nestas reuniões. Fi-lo durante muitos anos para as festas da escola onde trabalhei e algumas para ler durante o Natal, lá em casa, mas foi uma coisa que comecei a fazer só a partir dos 40 anos, porque até aí nem sabia que tinha jeito para quadras. Sou professora de matemática, não tenho nada que ver com as Letras"
, explicou Isabel, que, uma vez mais, foi muito elogiada pelos vários grupos de amigas que foi fazendo ao longo dos anos nas escolas por onde passou, nos torneios de golfe, nos jogos de
bridge
, e ainda em diversos encontros sociais.


Célia Salvado, Dina Marçal e Adriane Coelho
Célia Salvado, Dina Marçal e Adriane Coelho
Victor Freitas
Isilda Peixe
, que conheceu precisamente em alguns eventos onde estiveram ambas, há cerca de sete anos, fez questão de sublinhar a forma como a anfitriã sabe receber e organizar estes encontros:
"A Isabel consegue mobilizar as amigas, e é uma pessoa em quem podemos confiar. Quanto à vertente solidária do dia de hoje, foi a verdadeira razão para não faltar ao almoço, porque tenho imensas coisas para preparar antes do Natal."
Sofia Carvalhosa
, que conhece Isabel há muitos anos dos torneios de golfe que organiza, assegurou ter-se divertido imenso neste almoço, onde se destacava por ser a mais nova do grupo:
"A Isabel é uma das nossas amigas do coração!"

Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras