Nas Bancas

Filhas de Ana Elias e Luís Fernandes da Costa herdam paixão pelos cavalos

Enquanto Ana Elias e Luís Fernandes da Costa se concentram para as provas, as filhas, Carlota e Bárbara, de cinco e dois anos, passeiam-se pelas cavalariças, cumprimentando os outros cavaleiros, que as conhecem desde que nasceram.

Andreia Guerreiro
31 de dezembro de 2009, 14:21

Carlota e Bárbara foram as crianças mais divertidas e extrovertidas que encontrámos no Concurso de Saltos Internacional do Porto, que se realizou na Exponor. Habituadas a cavalos, cavalariças, cavaleiros e concursos hípicos, as filhas de Ana Elias e Luís Fernandes da Costa, de cinco e dois anos, respectivamente, são o orgulho do piloto da aviação civil e da empresária, que este ano participaram nas mesmas provas e nem assim se mostraram menos competitivos.
Juntos há seis anos, Ana Elias e Luís Fernandes da Costa não escondem que gostavam que Carlota e Bárbara se tornassem cavaleiras. "Adorava que elas seguissem, tanto que isso até me preocupa. Sei que elas podem preferir jogar ténis, mas acho que estão predestinadas. Elas adoram este ambiente e vir para os concursos é uma festa. Conhecem toda a gente e dão-se lindamente com todos", explicou Ana Elias da Costa, que já inscreveu a filha mais velha nas aulas de volteio: "Em casa, eu ajudo-a, mas é importante que ela tenha um professor, porque há mais distância e estabelece-se uma maior relação de respeito."


Carlota e Bárbara, filhas de Ana Elias e Luís Fernandes da Costa
Carlota e Bárbara, filhas de Ana Elias e Luís Fernandes da Costa
Joaquim Norte de Sousa
Completamente integradas neste mundo, Carlota e Bárbara montam os póneis com à-vontade, pois, apesar dos feitios diferentes, ambas têm em comum esta paixão.
"A Bárbara tem uma personalidade mais forte, vai ser daquelas que sujam as botas, é mais guerreira. Já a Carlota é mais feminina, vai fazer tudo impecável"
, perspectiva Ana Elias da Costa, adiantando:
"Se elas se tornarem cavaleiras profissionais, na devida altura eu retiro-me para lhes dar o lugar."

A cavaleira diz que os cavalos são para ela
"um vício muito saudável"
, embora tenha presente que é preciso trabalhar para o sustentar, visto ser
"um vício caro"
.


Comentários

ATENÇÃO: ESTE É UM ESPAÇO PÚBLICO E MODERADO. Não forneça os seus dados pessoais (como telefone ou morada) nem utilize linguagem imprópria.

Nas Bancas

Newsletters

Receba grátis no seu email as notícias, as últimas caras!

Caras Nas Redes

Mais na Caras